A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

06/02/2015 11:04

Educação transforma 11 sábados em letivos, mas só três com aulas

Michel Faustino
Escola Estadual Hércules Maymome terá aulas aos sábados (Foto: Marcelo Calazans)Escola Estadual Hércules Maymome terá aulas aos sábados (Foto: Marcelo Calazans)

O atraso no início do ano letivo na rede estadual de ensino, que deveria começar no dia 09, vai exigir que os alunos reponham as aulas em três sábados: 21 de fevereiro, 28 de março e 27 de junho. Com o adiamento, mais nove sábados foram acrescidos para completar os 200 dias letivos exigidos pela Lei de Diretrizes da Educação.

Conforme divulgado nesta sexta-feira (06) no DOE (Diário Oficial do Estado) o calendário terá a duração de 207 dias, sendo : 200 dias letivos; dois dias de jornada pedagógica (12 e 13 de fevereiro), além de cinco dias destinados à exames finais.

Segundo a SED (Secretaria Estadual de Educação) os períodos de formação continuada, planejamento e conselho de classes foram transferidos para os sábados para evitar que os alunos fossem prejudicados. Inicialmente foi cogitado a hipótese da necessidade das aulas serem repostas em oito sábados.

Tendo em vista que, o cronograma, que previa o retorno dos alunos a partir de 9 de fevereiro nos municípios do interior do Estado, já contabilizava aulas em três sábados: 25 de abril, 30 de maio e 27 de junho. E com o adiamento mais oito sábados deverão ser acrescentados para completar os 200 dias letivos.

A transferência do início do ano escolar, que começa no 19 de fevereiro, foi acatada pelo governo do Estado a pedido da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul). As justificativas foram economia com transporte escolar, professores contratados e conclusão da reforma das escolas.

Dos 78 municípios do Estado, apenas Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, decidiu manter para dia 9 o início do ano letivo na rede municipal. Segundo o prefeito Murilo Zauith, o objetivo é não prejudicar o calendário que já estava programado. Já as escolas da rede estadual do município seguem o calendário da secretaria de Educação do Estado.



Esse é o governo que disse que daria prioridade para a educação. Não quer cumprir a lei que determina ajuste salarial e nem o calendário escolar. Povo sem instrução fica mais fácil de controlar. Nota para esse governo de carnavalescos: ZERO! E o salário Ó...!
 
Hugo Alves em 06/02/2015 14:42:42
É o país da piada pronta mesmo, e nós somos o estado da piada pronta.
 
Max em 06/02/2015 12:35:09
Ou seja...

Vão economizar às custas do professor contratado, que começará a receber salário só à partir do dia 19 mas terá que trabalhar aos sábados para repor aulas pelas quais não recebeu???
 
Fabinho em 06/02/2015 11:34:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions