ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 21º

Cidades

Em ranking de bibliotecas, Campo Grande fica em 254°

Por Redação | 30/04/2010 17:57

Dentre 420 municípios brasileiros, Campo Grande ocupa o 254º lugar em número de bibliotecas públicas. A capital sul-mato-grossense tem apenas uma biblioteca de livre acesso à população, no Horto Florestal, para a população de 755 mil habitantes.

A pesquisa, divulgada hoje pelo Ministério da Cultura, coloca Mato Grosso do Sul em 11ª posição dentre os estados brasileiro, com 70 bibliotecas, proporção de 2,9 para grupo de 100 mil habitantes.

Conforme o levantamento, em 420 cidades brasileiras ainda não há bibliotecas municipais. A pesquisa só cita Rochedo como exemplo de cidade sem esse tipo de recurso.

O índice representa 7,54% dos 5.565 municípios em todo o país. O estado com o maior número de cidades sem esses espaços para leitura é o Maranhão (61).

Censo - Esse foi o primeiro Censo Nacional das Bibliotecas Públicas Municipais, realizado pela FGV (Fundação Getulio Vargas) e encomendado pelo ministério.

O perfil dos estabelecimentos indica uma média de 296 empréstimos por mês e uma frequência média de usuários de 1,9 vez por semana. A área física é de 177 metros quadrados, em média, e a maioria das bibliotecas (99%) não abre durantes os finais de semana, só funciona de segunda à sexta, de manhã e de tarde.

Os dados mostram ainda que 91% dos locais não oferecem serviços a pessoas com deficiência visual. O índice das bibliotecas que não dispõem de serviços para portador de necessidades especiais chega a 94%. Além disso, 88% dos estabelecimentos não têm nenhum tipo de atividades de extensão, como oficinas e rodas de leitura em escolas.

Segundo a pesquisa, 64% das bibliotecas municipais do país têm computador, 39% têm televisão, 28% têm videocassete, 27% têm aparelho de DVD e 24% ainda usam máquina de datilografia. Entretanto, 25% delas não contam com nenhum desses equipamentos.

Apesar do número razoável de estabelecimentos com computadores, nem a metade (45%) tem acesso à internet. Desses, apenas 29% prestam esse tipo de serviço aos usuários. (Com informações da Agência Brasil).

Nos siga no Google Notícias