A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 13 de Novembro de 2018

13/09/2008 09:12

Equipes fazem limpeza, após estragos de vendaval ontem

Redação

Quando a chuva começou, na tarde de ontem, Eliane e a filha Joana, de 2 anos, tiveram de correr para baixo de uma mesa de jantar, para não serem atingidas pelas telhas quebradas que caíam pela casa. "O vendaval começou e foi uma loucura. De uma hora para outra, metade da casa ficou destelhada", conta a mãe, de 34 anos.

Pela manhã, o telhado foi coberto por lonas, mas muita coisa ainda tem de ser feita nos três quartos, sala e cozinha, onde vivem Eliane, a filha, dois irmãos e dois sobrinhos. "Pelo menos vai ter bastante gente para ajudar", comenta.

A vizinha, Sueli Costa, levou um susto quando chegou em casa, no final da tarde. "A imagem era de desesperar". Saiu para fazer compras, ficou presa no supermercado por causa da chuva, e quando retorno parte do telhado foi atingido pelas telhas que voavam da casa ao lado. O prejuízo também é com a cerca elétrica, que ficou retorcida. "Nunca tinha visto isso". 

Limpeza - Equipes da Sesop (Secretária Municipal de Obras Públicas) estão nas ruas de Campo Grande desde cedo. Cerca de 30 homens e oito veículos da prefeitura integram a operação de limpeza. Os grupos retiraram árvores e liberaram o trânsito em algumas vias, interditadas por galhos na pista, após o vendaval de ontem. No total, a Defesa Civil registrou 52 ocorrências de quedas de árvores.

Na rua Marechal Floriano, que fica na lateral do supermercado Comper da rua Brilhante, uma grande árvore caiu, fechando a rua e interrompendo completamente o tráfego.

Na região o vendaval surpreendeu, mas o recorde foi registrado na Vila Popular e no centro da cidade, com ventos de até 92,6 quilômetros por horas.

Com a tempestade, parte da cidade também ficou sem energia por algumas horas. Um fio elétrico arrebentado, no Jardim Seminário, fez a população ficar sem luz até está manhã.

O maior prejuízo à população foi registrado no bairro Santa Luzia, onde vivem Eliana e Sueli. Equipes da Emha (Empresa Municipal de Habitação) estiveram no local cobrindo os telhados provisoriamente com lona, de forma emergencial. Na segunda-feira o reparo permanente será feito. No total, forma 9 destelhamentos de menor proporção.

Nenhum alagamento foi registrado. O alerta maior é para o dia 18, lembra o coordenador da defesa civil no município, Sebastião Octávio Rayol,

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions