A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/07/2014 12:21

Estudante de MS ganhou fama de “terror das mulheres" em Munique

Caroline Maldonado
Imagem das câmeras de segurança do ônibus foram usadas pela investigação (Foto: Jornal Abendzeitung)Imagem das câmeras de segurança do ônibus foram usadas pela investigação (Foto: Jornal Abendzeitung)

O estudante de Dourados preso na Alemanha, sob suspeita de ter estuprado pelo menos cinco jovens, ficou conhecido por provocar medo às mulheres da região sudoeste de Munique, durante várias semanas. Segundo a imprensa alemã,a Polícia afirma que ele foi reconhecido por uma das vítimas e exames de DNA confirmaram a autoria. Os estupros ocorriam sempre próximo aos pontos de ônibus, por isso o jornal o classifica como o “estuprador do ônibus noturno”.

Hoje (10), o Ministério das Relações Exteriores Itamaraty confirmou que o consulado foi comunicado da prisão de um brasileiro em Munique, mas não divulgou o nome dessa pessoa, que já está recebendo assistência consular e jurídica. À UEMS, o Itamaraty confirmou que existe um processo judicial em andamento contra o estudante, mas o processo corre em sigilo, por isso a universidade também não informa o nome completo, apenas o primeiro: Rafael.

Investigação - Segundo o jornal alemão Abendzeitung, Rafael A. foi preso na quinta-feira (3), depois que exames de DNA comprovaram os crimes. A reportagem conta que Rafael estava num ônibus em direção a Hadern, quando foi interceptado por dois policiais à paisana, no dia 29 de junho.

Por volta das 3h, os policiais observaram o suspeito e perceberam que ele era parecido com um homem observado pelo sistema de câmeras em um outro ônibus da cidade. Ainda segundo o jornal, os policiais puxaram conversa com o rapaz e descobriram que era um estudante brasileiro, de 25 anos.

Os policiais contatam ainda que ele não tem passagem pela Polícia, está no país desde 2013 e já morou também na cidade Offenbach. Rafael não é preso neste dia, mas depois do exame de DNA feito com a saliva dele e material deixado nas vítimas a Polícia resolveu prendê-lo.

Intercâmbio – Rafael estudava Engenharia Física e foi para a Alemanha por meio do programa Ciência Sem Fronteiras, em agosto de 2013, segundo a assessoria de imprensa da universidade. Ele já havia pedido prorrogação da bolsa, de 1.180 euros por mês, para continuar no país.

De acordo com a UEMS, para participar do estágio no exterior, Rafael atendeu satisfatoriamente aos critérios de seleção a que são submetidos todos os alunos brasileiros que pretendem fazer o intercâmbio. Segundo a assessoria, o estudante “não possui nenhum relato de desvio em sua conduta moral dentro da universidade, tampouco em relação a sua vida acadêmica”. 

(Colaborou com a tradução Daniele Naves)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions