ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Evento em Campo Grande avalia políticas de assistência social no Centro-Oeste

Kleber Clajus | 20/11/2013 14:37
Prefeito e Thaís Helena participaram de evento na manhã de hoje (Foto: Kleber Clajus)
Prefeito e Thaís Helena participaram de evento na manhã de hoje (Foto: Kleber Clajus)

Durante Encontro dos Gestores Municipais da Assistência Social da Região Centro-Oeste, cerca de 250 representantes avaliam resultados alcançados através da implantação do SUAS (Sistema Único da Assistência Social), além de propor novas diretrizes de políticas públicas para o setor. O evento ocorre até amanhã (21), no Novotel, em Campo Grande.

O evento conta com a presença de representantes de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal e, também, Sergipe. Também participa do evento a professora e doutora Aldaiza Sposati, representando o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome).

Para o presidente do Congemas (Colegiado Nacional dos Gestores Municipais de Assistência Social), Valdiosmar Vieira, o principal desafio enfrentado não está associado apenas à obtenção de recurso para executar ações, mas “exterminar a lógica de assistencialismo, possibilitando visualizar os usuários como cidadãos de direitos”.

No caso de Campo Grande, a secretária municipal de Assistência Social, Thaís Helena, ressalta que o desafio local está em “trazer o usuário para participar ativamente da construção das políticas públicas para que, desta forma, se torne conhecedor de seus direitos e dos serviços disponíveis”. Anualmente, de acordo com Thaís, a secretaria investe R$ 19 milhões em ações assistenciais, incluídas as destinadas para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Ao avaliar o cenário da assistência no Estado, o presidente do Coegemas (Colegiado Estadual dos Gestores Municipais de Assistência Social), Sérgio Wanderly, pontua que a distribuição de recursos avançou muito e que hoje ela alcança “não somente quem é carente, mas quem precisa, como as pessoas afetas por catástrofes”. Ele reforça também ser preciso “que a população se apodere e controle as ações do poder público”, mas que a obtenção de mais recursos se faz necessária para “cumprir os compromissos já firmados entre os entes federativos”.

Dentro da programação do evento, que encerra amanhã (21), serão avaliados o movimento histórico dos 20 anos da Lei Orgânica da Assistência Social e os oito anos da implantação do SUAS, além de se discutir a qualidade da gestão, estruturação da rede socioassistencial e responsabilidades entre entes federativos. Os assuntos tratados serão encaminhados para o Encontro Nacional do setor, a ser realizado em abril de 2014, em Cuiabá.

Nos siga no Google Notícias