ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Evento em Campo Grande avalia políticas de assistência social no Centro-Oeste

Por Kleber Clajus | 20/11/2013 14:37
Prefeito e Thaís Helena participaram de evento na manhã de hoje (Foto: Kleber Clajus)
Prefeito e Thaís Helena participaram de evento na manhã de hoje (Foto: Kleber Clajus)

Durante Encontro dos Gestores Municipais da Assistência Social da Região Centro-Oeste, cerca de 250 representantes avaliam resultados alcançados através da implantação do SUAS (Sistema Único da Assistência Social), além de propor novas diretrizes de políticas públicas para o setor. O evento ocorre até amanhã (21), no Novotel, em Campo Grande.

O evento conta com a presença de representantes de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal e, também, Sergipe. Também participa do evento a professora e doutora Aldaiza Sposati, representando o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome).

Para o presidente do Congemas (Colegiado Nacional dos Gestores Municipais de Assistência Social), Valdiosmar Vieira, o principal desafio enfrentado não está associado apenas à obtenção de recurso para executar ações, mas “exterminar a lógica de assistencialismo, possibilitando visualizar os usuários como cidadãos de direitos”.

No caso de Campo Grande, a secretária municipal de Assistência Social, Thaís Helena, ressalta que o desafio local está em “trazer o usuário para participar ativamente da construção das políticas públicas para que, desta forma, se torne conhecedor de seus direitos e dos serviços disponíveis”. Anualmente, de acordo com Thaís, a secretaria investe R$ 19 milhões em ações assistenciais, incluídas as destinadas para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Ao avaliar o cenário da assistência no Estado, o presidente do Coegemas (Colegiado Estadual dos Gestores Municipais de Assistência Social), Sérgio Wanderly, pontua que a distribuição de recursos avançou muito e que hoje ela alcança “não somente quem é carente, mas quem precisa, como as pessoas afetas por catástrofes”. Ele reforça também ser preciso “que a população se apodere e controle as ações do poder público”, mas que a obtenção de mais recursos se faz necessária para “cumprir os compromissos já firmados entre os entes federativos”.

Dentro da programação do evento, que encerra amanhã (21), serão avaliados o movimento histórico dos 20 anos da Lei Orgânica da Assistência Social e os oito anos da implantação do SUAS, além de se discutir a qualidade da gestão, estruturação da rede socioassistencial e responsabilidades entre entes federativos. Os assuntos tratados serão encaminhados para o Encontro Nacional do setor, a ser realizado em abril de 2014, em Cuiabá.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário