A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

08/02/2011 10:40

Funcionários de prestadoras de serviço para Expogrande engrossam luta por shows

Aline Queiroz

Trabalhadores estão na Câmara com faixas para cobrar a realização de eventos no parque de exposições

Trabalhadores levaram faixas para se manifestar favoráveis à Expogrande. Foto: João Garrigó.Trabalhadores levaram faixas para se manifestar favoráveis à Expogrande. Foto: João Garrigó.

Trabalhadores de empresas que prestam serviço para a Expogrande foram esta manhã à Câmara Municipal de Campo Grande, onde será votado projeto de lei que poderá viabilizar a realização de shows no Parque de Exposições Laucídio Coelho.

Eles levaram faixas ao plenário, que reúne muitos trabalhadores, de empresas de som e segurança, entre outras.

“A Expogrande é um evento do povo. Trabalhadores de empresas de segurança querem trabalhar. O Laucídio Coelho é de todos”, dizem algumas faixas.

Também estão no plenário duplas sertanejas. Elas esperam que a decisão judicial que proíbe shows no parque seja revertida.

Alex Maidana, da dupla Alex e Ivan, afirma que se sentirá frustrado caso o projeto não seja aprovado. A dupla se lançou no palco da Expogrande, em 2008, em show para 26 mil pessoas. “A Expogrande serviu de trampolim”, enfatiza.

Grupo de 15 pessoas com camisetas da Expogrande 2011 chegou cedo hoje à casa de leis para a votação do projeto que altera a Lei do Silêncio.

Diretores do Parque de Exposições Laucídio Coelho e organizadores de eventos querem inserir a feira no calendário de festas que estão livres das regras fixadas pela lei que regula a realização de shows.

O projeto, do vereador Carlos Borges, o Carlão, foi apresentado na semana passada, a pedido da Acrissul. A proposta surgiu depois que a Justiça proibiu a realização de shows no Parque de exposições, por conta do barulho e transtornos para os moradores da região.

Hoje, a Lei do Silêncio já coloca como exceção as regras o Carnaval na Via Morena, a festa junina da prefeitura e o réveillon.



Querem mudar tudo bem. Mais pensa um monte de coisas marcadas, aqui em campo grande nao tem outro lugar para fazer... fico triste... aqui ja é um buraco e ainda nao tem show ... me desanima poxa.... so tem um cinema e um lugar para shows... f*da.... :/ decidam poor favooor
 
Danielle Areco em 11/02/2011 04:17:43
Não sou contrário aos shows na cidade, que fique bem dito.
Sou contra àquela zona que se transformou a região do Parque de Exposições...
Esses argumentos de que querem trabalhar não cola, pois o evento ocorrerá em outro local, e o trabalho, seja de segurança ou de som, ocorrerá também.
Isso mostra a falta de preparo desse segmento, que sequer tem embasamento em seus argumentos, falam qualquer coisa, achando que a população é ignorante.
O que eles querem mesmo é lucrar mais e mais, recebendo patrocínio do governo, sem nada de investimento no entorno.

 
Philipp Ernesto em 08/02/2011 11:26:35
Do jeito que divulgam parece que a população é contra a EXPOGRANDE. Ninguém é contra a Exposição, mas sim contra o local onde ela é realizada. Mudança Já!
 
Carlos Alberto em 08/02/2011 11:03:59
Meia duzia de veios e pessoas de mal com a vida, não vão conseguir fazer isso mudar.
Fico pensando nos shows que acontecem Brasil a fora, como a virada cultural em São Paulo, Carnaval no Rio e na Bahia...
Não vejo as pessoas de lá reclamarem e olha que alguns desses eventos ocorrem bem no coração da cidade...
Não adianta mudar de lugar porque mais cedo ou mais tarde terá gente morando em volta assim como aconteceu no Parque que era uma verdadeira selva em volta.
Não acho justo vocês quererem fazer mudar de local, vamos exigir que se façam investimentos e não a mudança de local....
 
Leandro Amaral em 08/02/2011 04:38:42
Eles querem trabalhar...
Eu quero dormir pois tenho que trabalhar.
Pego a minha condução as 5:00hs, pois tenho compromisso com a empresa que trabalho e com as minhas contas.
Sabe por que está assim???
Falta de Planejamento do Promotores deste evento, com certeza eles sabiam desde problema com e LEI DO SILÊNCIO.
Com certeza "empurraram com a barriga" achando que podia se dar bem.

Eu morro perto do Morenão a acho que o evento vai atrapalhar o descanso das pessoas e a concentração das aulas.
E quanto a segurança a UFMS e nossa como fica, visto que o maior lucro é a venda de bebidas?!?!

FAÇA UM PLANEJAMENTO QUE SAI TUDO CERTO!!!
 
Luis C.G. em 08/02/2011 01:17:34
TA MAIS QUE CERTO ACABAR COM ESTA ZONA, É UMA BAGUNÇA, SÃO BRIGAS ASSALTOS ETC.
PARABENS PELA ATITUDE
 
JULIO CESAR em 08/02/2011 01:05:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions