A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

27/01/2017 17:15

Gaeco encontra munições na sala do diretor de operações de agência

A apreensão ocorreu na sede da Agepen durante as buscas da operação GIRVE, iniciada este manhã na Capital e mais duas cidades

Adriano Fernandes
Agente do Gaeco entrando na sede da Agepen. (Foto: André Bittar) Agente do Gaeco entrando na sede da Agepen. (Foto: André Bittar)

Durante as buscas da Operação GIRVE, na sede da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), no bairro Coronel Antonino, esta manhã (27), agentes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) encontraram cinco munições calibre 12 que estavam trancadas na gaveta da mesa do diretor do Departamento de Operações da agência, Reginaldo Francisco Régis, 50 anos.

As munições foram encontradas por volta das 09h, depois que um chaveiro teve de ser acionado para ir até o local – conforme o Campo Grande News já havia noticiado - sendo que o diretor esta de férias do trabalho na unidade.

O caso foi registrado como posse irregular de arma de fogo de uso permitido na 3ª Delegacia de Polícia Civil, da Avenida Hiroshima em Campo Grande. A apreensão ocorreu durante o cumprimento dos sete mandados de busca e apreensão, a operação deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) que tem como foco as administrações da diretoria da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

“Busca e apreensão os titulares da Presidência da AGEPEN, da Diretoria de Assistência Penitenciária (DAP), da chefia da Divisão de Estabelecimentos Penais (DEP), da Diretoria de Operações (DOP) e a Chefia de Divisão de Trabalho”, conforme nota divulgada pelo MPE (Ministério Público Estadual).

Os cargos são ocupados por Gilson de Assis Martins (DAP), Reginaldo Régis (DOP), Mauro Levermann (DEP) e o agente penitenciário Rossandro Ramalho (Divisão do Trabalho). Na casa de Ramalho, na Vila Margaria os agentes encontraram, ainda pela manhã, os agentes ainda encontraram em um copo plástico que estava dentro de um guarda roupas, quatro munições de arma de fogo, sendo três de calibre 380 e uma de calibre 38, intactas. 

As munições e o agente foram encaminhados à delegacia. A ação também apreendeu os celulares do presidente da agência, Ailton Stropa, e dos outros diretores. Na residência de um deles, foi apreendido R$ 90 mil em dinheiro.

Os mandados foram cumpridos nas residências dos investigados, localizadas em Aquidauana, Dourados e Campo Grande, e no local de trabalho.

As busca se concentraram na sede da unidade em Campo Grande. (Foto: André Bittar) As busca se concentraram na sede da unidade em Campo Grande. (Foto: André Bittar)

Investigações - O Gaeco investiga irregularidades durante a realização do GIRVE – Curso de treinamento para intervenção rápida, contenção, vigilância e escolta do sistema penitenciário. O curso foi realizado em abril de 2016 na Capital o diretor-presidente nega irregularidade.

As ordens para busca e apreensão são do juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, o Carlos Alberto Garcete de Almeida. São investigados os crimes de peculato, falsidade documental e corrupção.

Com malotes, as equipes do Gaeco deixaram a Agepen, no bairro Coronel Antonino, ao meio dia. Parte do trabalho foi acompanhado pela promotora Cristiane Mourão, coordenadora do Gaeco.

Corumbá - Na última segunda-feira (dia 23), a operação Xadrez cumpriu 12 mandados de busca e apreensão, um de condução coercitiva e nove de prisão temporária. A ação foi resultado de uma investigação por tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção, peculato e falsidade documental em Corumbá, localizada a 419 quilômetros de Campo Grande. Foram presos os diretores dos presídios de regime fechado e aberto.

**Matéria editada às 18h25 para acréscimo de informações.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions