A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

07/06/2011 10:59

Empreendimentos podem causar danos irreparáveis ao Pantanal, aponta MP

Francisco Júnior

Podem ser instalados no Pantanal 114 empreendimentos

O MPF (Ministério Público Federal) e o MPE (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) recomendaram ao Ministério do Meio Ambiente a suspensão dos licenciamentos ambientais de empreendimentos hidrelétricos na Bacia do Alto Paraguai até que seja realizado estudo que avalie impacto cumulativo de usinas e pequenas centrais.

Caso sejam instalados os 114 empreendimentos os previstos na região, “o hidrograma geral da cheia pantaneira e outros parâmetros de relevante importância para o equilíbrio ambiental exercido pelo Pantanal possam ser alterados”. Os impactos atingem potencialmente regiões em outros países, como Bolívia e Paraguai.

Para o MPF é necessário a realização de Avaliação Ambiental Estratégica na Bacia do Alto Paraguai, com o objetivo de mensurar os impactos ambientais decorrentes da exploração intensiva do potencial hidrelétrico no planalto que circunda a planície pantaneira.

A suspensão dos licenciamentos ambientais em Mato Grosso do Sul e Mato grosso justifica-se pela necessidade de interromper a expansão dos empreendimentos antes que danos mais graves sejam causados ao pantanal.

A Bacia Hidrográfica do Paraná, da qual faz parte a Sub-Bacia do Alto Paraguai, é a mais explorada do país para geração de energia, com índice de utilização de 73% em relação ao potencial inventariado.

As medidas determinadas pelo MPE e MPF objetivam estabelecer os limites de sustentabilidade ambiental da exploração do potencial energético da Bacia, assegurando a preservação do bioma pantaneiro, classificado pela ONU (Organização das Nações Unidas) como Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera.

Foram expedidas recomendações para o Ministério do Meio Ambiente, Ibama e os órgãos ambientais de Mato Grosso do Sul (Imasul) e Mato Grosso (Sema). O acatamento da recomendação deve ser comunicado em até 45 dias.



Assim caminha os politicos, sempre na contramão, sempre atrapalhando tudo o que é certo. PROCURAM PROBLEMAS POLEMICOS PARA DESVIAR A ATENÇÃO, PREFIRO ACREDITAR QUE É ISSO, pois não é possivel que eles querem destuir o pantanal, certo que esses empreendimentos vão causar danos, isso é inevitavel, até uma criança sabe disso. Sigo vendo a autodestruição...
 
João Luís Flores em 07/06/2011 12:25:30
Dever do MPF cuidar do bem de todos, a natureza é o bem mais precioso da humanidade, e pessoas que preferem desenvolvimento ao inves da natureza, é BURRA. Do que adianta o desenvolvimento sem a vida saudavel, uma hidreletrica causa danos ambientais serios, isso é fato.!!
 
João Luís Flores em 07/06/2011 04:49:05
Se não tem energia, não tem desenvolvimento, e ponto. Não sou fervorosa defensora das hidrelétricas, mas, nesse caso, as vejo como um mal menor. O MPF tem muitas outras atribuições, das quais não se ocupa devidamente, deveria deixar as questões ligadas ao desenvolvimento para os órgãos competentes.
 
marly siqueira caramalack em 07/06/2011 01:27:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions