A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

06/04/2009 19:07

Homicídio ocorrido em 2000 é esclarecido pela polícia

Redação

Já estão presos Adeunas Vieira Couto, 38 anos e Jorge Aparecido Cândido de Barros, 29 anos, responsáveis pelo assassinato de Alexandre Ferreira da Silva, ocorrido no dia 14 de março de 2000, na Rua Abuna, Jardim Itamaracá, em Campo Grande. Na ocasião, segundo a polícia, Alexandre foi morto a tiros desferidos através de um revólver de propriedade de Adeunas, também conhecido pelo apelido de 'Diuna'.

O crime aconteceu por volta das 15h21 e com base no inquérito policial que apurou o caso, um amigo de Alexandre estava junto dele quando tudo aconteceu. Conforme testemunho do rapaz, os dois caminhavam pelo bairro quando foram abordados pelos assassinos, que estavam em uma moto Honda Titan, de cor verde.

No momento em que Alexandre avistou a dupla, saiu correndo e entrou em um trieiro. Diunas desceu da moto e o perseguiu, disparando sua arma momentos depois. Ao retornar ao local onde a moto havia parado, ameaçou o amigo de Alexandre de morte, mas desistiu de cometer outro homicídio e fugiu com Jorge, que pilotava a Honda Titan.

Após o crime, o amigo de Alexandre foi até a residência dele e contou a tragédia à sua mãe. A mãe da vítima informou que meia hora antes do assassinato, a dupla havia passado na casa dela e perguntou pelo filho, alegando que iria matá-lo.

Já na Delegacia, Jorge foi reconhecido como sendo o piloto da motocicleta usada no crime. Em seus interrogatórios, na Delegacia de Homicídios, Adeunas e Jorge negaram envolvimento no assassinato. Adeunas relatou conhecer Alexandre apenas de vista e que na verdade a Polícia poderia estar o confundindo com um irmão parecido, cujo nome é Belagama Vieira Couto, o qual, segundo o criminoso, mantinha 'negócios' com o morto.

Jorge não se manifestou acerca da imputação que lhe foi feita, fazendo uso do direito constitucional de permanecer calado, deixando para se manifestar somente em juízo. Ao término do procedimento policial foi representado pela decretação da prisão preventiva dos autores do homicídio, com mandado cumprido na sexta-feira (3).

Adeunas foi encaminhado à cela da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), enquanto Jorge foi levado ao Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande, pois foi condenado por outro crime de homicídio.

A testemunha amiga da vítima teme por sua vida, pois, segundo informa, os homicidas são pessoas perigosas e pertencem a facção do PCC (Primeiro Comando da Capital).

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions