A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2018

26/07/2017 12:38

Idoso é preso por fraudes de R$ 292 mil contra a Previdência Social

Priscilla Peres
Ele é acusado de fraudar o sistema para receber benefícios. (Foto: Divulgação/PF) Ele é acusado de fraudar o sistema para receber benefícios. (Foto: Divulgação/PF)

Um idoso de 62 anos foi preso ontem (25) pela Polícia Federal, suspeito de causar prejuízo de R$ 292 mil aos cofres públicos devido a fraudes envolvendo o benefício auxílio-reclusão. Ele foi encontrado em Campo Grande, pouco antes de fugir para região de fronteira.

De acordo com a PF, o homem que não teve o nome divulgado foi preso dentro da Operação Extemporâneos, que também apreendeu diversos documentos que corroboram as provas colhidas na investigação, em mandado de busca e apreensão.

Para cometer o crime eram criados falsos vínculos empregatícios através de lançamentos fraudulentos no sistema da Previdência Social, além de falsas anotações em Carteiras de Trabalho e em Livros de Registros de Empregados, para que dependentes de presos conseguissem receber auxílio-reclusão.

A polícia afirma que, até o momento, não foi verificada a participação das empresas em nome das quais eram registrados os falsos vínculos. Para o recebimento desse tipo de benefício é necessário que o preso tenha a condição de segurado junto ao INSS na data da prisão, o que não ocorria em nenhum dos casos investigados. Com a criação dos falsos vínculos, a intenção era permitir que esses presos conseguissem o auxílio reclusão a que legalmente não teriam direito.

O mandado de prisão foi expedido pela Justiça Federal de Campo Grande, pois havia evidências de que o investigado pretendia fugir para a região de fronteira com possibilidades de se esconder no Paraguai. O homem preso, natural de Porto Murtinho e residente em Campo Grande, esá preso na PF à disposição da Justiça Federal.

A operação foi executada pela Superintendência Regional da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul, por meio da Deleprev (Delegacia de Combate aos Crimes Previdenciários), em conjunto com a Coinp (Coordenação de Inteligência Previdenciária do Ministério da Fazenda).



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions