A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017

26/07/2009 09:52

Índice de motociclistas mortos sobe como epidemia

Redação

Dados do Ministério da Saúde confirmam que motociclistas passaram a liderar o ranking de mortes em 12 estados brasileiros, entre eles Mato Grosso do Sul, e os óbitos crescem em percentual bem acima dos envolvendo outros veículos e os atropelamentos.

A epidemia de vítimas fatais em motos, já rotina no Estado, superou as mortes de pedestres que se estabilizaram nos últimos 8 anos, segundo o levantamento.

Entre motociclitas, o índice de óbitos aumentou 131% em relação a 2001, enquanto que em carros o crescimento foi de apenas 30%.

Em 2005, a frota de motos em Mato Grosso do Sul era de 114 mil, em 2009 o número já é quase o dobro - 212 mil, o que indica uma das causas do problema.

Outro levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Segurança no Trânsito aponta que em 2008 a diferença de mortes envolvendo as duas categorias nunca foi tão pequena no Brasil.

A realidade nacional se diferencia da capital sul-mato-grossense, onde a diferença entre as duas categorias é grande há, pelo menos, 3 anos.

Em 2007, em acidentes com motos, 40 morreram no local. No mesmo ano foram 11 pedestres mortos no trânsito.

Em 2008, 34 motociclistas morreram e 14 pessoas atropeladas na Capital não sobreviveram.

No primeiro semestre deste ano, oito pessoas já morreram atropeladas e 14 motociclistas integram as estatísticas de vítimas fatais.

Para a diretora do departamento de análise de situação de saúde do governo federal, Deborah Malta, o aumento contínuo de mortes de motociclistas atingiu "curva epidêmica".

Dados do SUS (Sistema

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions