A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

19/10/2016 23:30

Alunos encerram acampamento em escola, mas reclamam de tratamento

Nyelder Rodrigues
Alunos decidiram encerrar acampamento, mas não descartam nova ocupação na escola (Foto: Caroline Borralho)Alunos decidiram encerrar acampamento, mas não descartam nova ocupação na escola (Foto: Caroline Borralho)

Os alunos que ocuparam ontem (18) a Escola Estadual Nova Itamarati, localizada em Ponta Porã - município localizado a 323 km de Campo Grande -, no assentamento Nova Itamarati, encerraram no fim da tarde desta quarta-feira (19) o acampamento feito no local em protesto as ações do governo de Michel Temer (PMDB).

Segundo os estudantes, um dos motivos para encerrar a manifestação foi o adiamento da votação da PEC 241. Com isso, eles decidiram desocupar o local, que voltará a ter aulas normalmente. A intenção era ter saído pela manhã, mas o tratamento que eles alegam ter recebido de uma supervisora da SED (Secretaria de Estado de Educação) os desagradou.

"Decidimos estender até às 16h como repúdio ao desdém dela. Veio de uma forma subestimando o assentamento, nosso movimento, como se fossemos vândalos. O jeito que ela falou com a gente é como se estivéssemos aqui matando aula, ferindo a Constituição, sendo que é algo que está sendo feito em mais de 600 escolas pelo Brasil", comenta Caroline Borralho.

Além disso, os estudantes afirmam que a intenção é mostrar que os jovens da área rural também tem voz e que outros meios de protesto e conscientização serão usados por enquanto. Eles não descartam ocupar a escola novamente no futuro. Os jovens manifestantes ainda encerraram agradecendo aos que doaram alimentos para eles permanecerem na escola.

Com 2 mil alunos e uma das maiores instituições públicas do Estado, a Escola Nova Itamarati é a primeira ocupada por estudantes em protesto contra o governo federal em Mato Grosso do Sul. Já o assentamento Nova Itamarati, distrito de Ponta Porã, conta com 15 mil habitantes e foi comprado pelo Governo Federal em 2002, sendo distribuída a trabalhadores rurais.

Pedreiro morre após cair de torre construída por Sisfron na fronteira
O pedreiro Agácito Mautesco, 45 anos, nascido no Paraná, morreu na manhã desta sexta-feira (23) após cair de uma altura de aproximadamente 30 metros ...
Acusado de estuprar a ex é condenado a seis anos de prisão no semiaberto
Um homem de 27 anos foi condenado a seis anos de prisão por estuprar a ex-mulher em Glória de Dourados, a 265 quilômetros de Campo Grande. Segundo in...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions