ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Após aglomerações do fim de semana, bar na fronteira é interditado por 10 dias

O dono do estabelecimento também foi multado

Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 10/03/2021 20:51
Fiscais que interditaram o estabelecimento. (Foto: Direto das Ruas)
Fiscais que interditaram o estabelecimento. (Foto: Direto das Ruas)

Um dos principais estabelecimentos da "noite" de Ponta Porã, o Bar Barein foi interditado pela vigilância de saúde do município, nesta quarta-feira (10). O estabelecimento está proibido de ser reaberto por 10 dias e o dono do local também foi multado.

O bar fica na Avenida Brasil e teria desrespeitado o toque de recolher, além das regras de biossegurança, recomendadas para diminuir o contágio pelo novo coronavírus.

A Vigilância Sanitária teve conhecimento das irregularidades através de vídeos compartilhados nas redes sociais, que mostravam a aglomeração de pessoas que se formou no local entre sábado (06) e domingo (07).

Rígido - Para conter o avanço das contaminações pelo coronavírus, o município de Ponta Porã fechou até o Parque dos Ervais, o maior do interior de Mato Grosso do Sul e principal opção de lazer na cidade, na semana passada.

Até sábado, o toque de recolher adotado na cidade é das 22h às 05h. Por lá também estão proibidos shows, festas comemorativas, festas recreativas, bailes, aniversários, casamentos, reuniões, palestras entre outros similares estão suspensos.

Segundo o prefeito Hélio Peluffo (PSDB), o toque de recolher às 22h em tentativa de não penalizar excessivamente o comércio, principalmente o noturno. Entretanto, o decreto do Estado determinando toque de recolher das 20h às 5h muda a situação.

Segundo a prefeitura, aos municípios, de acordo com o ordenamento jurídico, não compete “flexibilizar” as regras vindas do Estado e da União, cabendo apenas o endurecimento das medidas.

Hélio Peluffo disse que amanhã (11) fará reunião virtual com a Assomasul para tratar destas questões. “Somos contra o endurecimento das regras, porém, somos obrigados a cumprir a determinação estadual, que ampliou o toque de recolher nos 79 municípios do Estado. Se não cumprirmos, poderemos ser penalizados juridicamente”.

Até domingo, segundo a prefeitura, será feita a fiscalização cumprindo o decreto municipal, porém, com mais rigor para não permitir nenhum abuso. A partir do dia 14, com a entrada em vigor do decreto estadual, a responsabilidade pela fiscalização ficará a cargo da Polícia Militar , do Corpo de Bombeiros Militar e da Polícia Civil.

Nos siga no Google Notícias