ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Após denúncia de maus tratos, bebê de 5 meses é encontrado com crânio fraturado

Conselho Tutelar encontrou a mulher ensanguentada na rua, com o bebê; ela fugiu e criança está na Santa Casa da Capital

Por Silvia Frias | 04/07/2020 09:16


Hematoma na cabeça descoberto após banho (Foto/Divulgação)
Hematoma na cabeça descoberto após banho (Foto/Divulgação)

Bebê do sexo masculino, de 5 meses de idade, sofreu fratura no crânio e foi transferido, em estado grave, de Costa Rica, a 330 quilômetros de Campo Grande, para a Santa Casa da capital. O ferimento foi descoberto durante investigação de maus tratos e violência doméstica contra a mãe dele.

Vizinhos de uma casa no Residencial Barbosa fizeram denúncia ao Conselho Tutelar, dizendo que ouviram gritos de mulher e choro do bebê, por volta das 21h de ontem (3).

A equipe foi ao local e, uma quadra antes de chegar, já se ouvia o choro da criança. Na casa, de acordo com informações do Conselho Tutelar, foi encontrado um idoso. Ele relatou ser ex-marido da mulher de 33 anos, mas que deixou que ela e o atual companheiro, de 24 aos, morassem no imóvel.

As conselheiras perguntaram sobre a denúncia de maus tratos e o homem disse que ela havia corrido para pedir ajuda a uma vizinha e levou a criança.

A mulher foi encontrada nas proximidades, na casa de vizinho. Ela estava embriagada,

Roupa com sangue nas costas (Foto/Reprodução)
Roupa com sangue nas costas (Foto/Reprodução)

ensanguentada e, no colo, carregava o bebê, enrolado em uma manta, suja de sangue.

As conselheiras pediram que ela retornasse até a casa dela para que pudessem conversar, mas ela se recusou e saiu correndo. A equipe pediu apoio da PM (Polícia Militar) nas buscas e ela foi encontrada horas depois, a cerca de três quilômetros de distância, no bairro Flor do Campo.

No relato dela às conselheiras, disse que foi ferida pelo companheiro, que arremessou um frasco de vidro de perfume e atingiu no lóbulo de uma das orelhas. O sangue na roupa do bebê era dela e, por isso, até aquele momento, não havia indícios de que o recém-nascido também pudesse estar ferido.

A mulher foi levada até hospital para exames e para testagem da covid-19. Como ela estava ferida e confusa, as conselheiras avaliaram que o melhor seria o bebê dormir no abrigo por uma noite até que ela pudesse estar em condições de relatar o que realmente tinha acontecido.

Calça usada pelo recém-nascido (Foto/Divulgação)
Calça usada pelo recém-nascido (Foto/Divulgação)

Foi no banho que os ferimentos foram descobertos: no rosto do bebê, um ralado e, no alto da cabeça, o inchaço. O recém-nascido foi levado às pressas de volta para o hospital para exames. Segundo Conselho Tutelar, a tomografia revelou fratura no crânio e a formação de coágulo, que provocou inchaço da caixa craniana. A criança foi transferida para Santa Casa de Campo Grande.

A mulher, que até então estava na condição de vítima, passou a ser suspeita das agressões, mas tinha fugido do hospital e ainda não foi localizada. O homem que teria provocado os ferimentos nela e também pode ser responsável pelos machucados no bebê também não foi encontrado.

Segundo Conselho Tutelar, todos os documentos dela foram encontrados na casa, mas, inicialmente, não o registro de nascimento do bebê ou qualquer outro que possa comprovar a maternidade ou paternidade do recém-nascido. No fim da manhã deste sábado, o registro dele foi localizado, sendo atestado que ele nasceu no dia 4 de fevereiro de 2020, completando, hoje, 5 meses de idade.

De acordo com assessoria da Santa Casa, o bebê foi internado hoje, às 4h, com hematoma na região parietal direita. Ele está ativo e reativo e respira sem ajuda de aparelhos, mas o estado é considerado delicado e por se tratar de ferimento grave na caixa craniana. O hospital solicitou outro exame de tomografia, além de parecer da neurologia e acompanhamento da assistência social.

#matéria atualizada às 10h57 para acréscimo de informações