ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 15º

Interior

Barbeiro que matou secretário com duas facadas pelas costas vai a júri

O julgamento está agendado para a próxima terça-feira (18), no município distante 233 quilômetros da Capital

Por Viviane Oliveira | 16/05/2021 15:34
Fernando no momento em que era levado para fazer corpo de delito (Foto: Sidnei Bronka/Ligado na Notícia)
Fernando no momento em que era levado para fazer corpo de delito (Foto: Sidnei Bronka/Ligado na Notícia)

Réu por matar a golpes de faca o secretário municipal de Agricultura Familiar de Dourados, Alceu Júnior Silva Bittencourt, 36 anos, o cabeleireiro Fernando Souza Gonçalves, 31 anos, vai a júri popular na próxima terça-feira (18).

O crime aconteceu no dia 4 de julho do ano passado, por volta das 14h20, no estabelecimento comercial da vítima, Salão ZAP, localizado na Rua Mozart Calheiro, no Conjunto Fernando Souza Gonçalves.

Segundo denúncia do MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Fernando trabalhou com Alceu, conhecido como Júnior Bittencourt, até 2019, quando decidiu abrir o próprio negócio. Porém, a vítima pediu que o rapaz continuasse no seu salão pois era o seu único funcionário, o que foi aceito por ele.

No entanto, conforme a denúncia, Fernando teve a expectativa de que a vítima fosse lhe ressarcir os investimentos que havia feito no novo negócio, mas o fato não aconteceu. Situação que causou repulsa e ódio no autor. Foi aí, segundo Ministério Público, que o denunciado decidiu matar Júnior.

Dia do crime - O ex- secretário foi assassinado pelas costas. Não houve briga ou sequer bate-boca entre os dois. Fernando simplesmente tirou a faca da cintura e atacou Júnior por trás com duas facadas, uma no pescoço e outra logo abaixo da nuca.

À época, a afirmação foi feita à polícia pela testemunha-chave do crime, o cliente do salão que era atendido por Júnior Bittencourt no dia do crime. Além do cargo público, Júnior mantinha negócio, onde atendia seus clientes em horários fora do expediente na prefeitura.

Segundo relatos da testemunha à polícia, sempre cortava o cabelo no salão e já tinha inclusive sido atendido por Fernando. No sábado à tarde, quando chegou ao local, Fernando e Júnior estavam no salão. Enquanto cortava o cabelo, ele disse ter visto pelo espelho o momento em que Fernando tirou a faca da cintura e desferiu os dois golpes no patrão.

Como reação imediata, o cliente jogou uma cadeira em Fernando, que saiu correndo. Na frente do salão, ele jogou a faca de cozinha de cabo amarelo na calçada, entrou no carro, um Celta vermelho, e fugiu. A tia de Fernando, com quem o barbeiro morava há cinco anos, disse que o sobrinho é esquizofrênico e havia parado de tomar os medicamentos havia pelo menos dois meses.

Fernando foi preso no dia seguinte, por equipe da Guarda Municipal, na barreira sanitária de prevenção a covid-19, na saída para Itaporã, e desde então está preso na PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário