A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Maio de 2019

04/09/2018 10:41

Colegas fazem cortejo de viaturas para homenagear policial morto no PR

Douradense Jorge Fernando Brito morreu ontem em um hospital de Paranaguá dois dias após ser ferido a tiros em Matinhos

Helio de Freitas, de Dourados
Jorge Fernando Brito tinha 30 anos e deixa uma filha de 11 (Foto: Reprodução/Facebook)Jorge Fernando Brito tinha 30 anos e deixa uma filha de 11 (Foto: Reprodução/Facebook)

Viaturas da polícia paranaense escoltaram na noite de ontem (3) o carro com o corpo do agente da DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa) Jorge Fernando Brito. Natural de Dourados, onde moram seus pais, o sul-mato-grossense foi baleado sábado à noite por traficantes em Matinhos, no litoral paranaense, e morreu nesta segunda-feira.

Imagens enviadas ao Campo Grande News mostram os colegas de Jorge Brito com as sirenes ligadas. “Essa é a homenagem da Polícia Civil do Paraná a nosso guerreiro”, diz a policial que gravava o vídeo, com a voz embargada de emoção. “Essa violência precisa acabar”, pede ela, em prantos. Confira o vídeo abaixo deste texto.

O corpo de Jorge Fernando foi trazido de avião de Curitiba para Campo Grande e chega no início da tarde a Dourados, a 233 km da Capital. O velório será na casa da mãe do rapaz, no Parque das Nações, em Dourados.

Nascido no Parque das Nações, bairro pobre da região leste de Dourados, Jorge Fernando Brito estudou até o ensino médio na Escola Estadual Tancredo Neves, no mesmo bairro onde cresceu.

Depois cursou educação física na Unigran e há pelo menos sete anos morava em Curitiba, após passar em concurso da Polícia Civil paranaense. Filho e Tereza e Jorge Brito, o policial tinha um casal de irmãos e deixa uma filha, Alanis, de 11 anos.

O crime – Jorge Brito foi ferido a tiros quando estava com a namorada Geovana Rocha no Balneário Gaivotas, em Matinhos, no litoral paranaense. Ela também foi ferida com um tiro na perna, mas está fora de perigo.

Levado para um hospital de Matinhos, Brito foi transferido para o Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá, onde morreu. Jean Herivelton da Silva Mantovani, 20, e Jose Carlos Barroso, o “Zezão”, estão presos pelo crime.

Os bandidos teriam agido a mando de traficantes de Matinhos, descontentes com abordagens feitas pelo policial que passava os dias de folga na cidade litorânea.

O crime ocorreu na noite de sábado. Os dois bandidos chegaram ao local e dispararam vários tiros. Jorge Brito recebeu pelo menos três tiros. Jean se entregou horas o atentado e Zezão foi preso logo em seguida em operação que envolveu unidades de elite da polícia paranaense.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions