ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  03    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Corpo de 1ª vítima do novo coronavírus em MS é levado direto para cemitério

Carro de funerária pegou caixão lacrado no Hospital da Cassems em Dourados e segue para município de Batayporã

Por Helio de Freitas, de Dourados | 31/03/2020 17:14
Usando trajes para evitar contaminação, funcionários de funerária carregam caixão com corpo da 1ª vítima do novo coronavírus (Foto: Adilson Domingos)
Usando trajes para evitar contaminação, funcionários de funerária carregam caixão com corpo da 1ª vítima do novo coronavírus (Foto: Adilson Domingos)

Dois carros de funerária saíram por volta de 16h40 desta terça-feira (31) do Hospital da Cassems, em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Um deles carregava o caixão lacrado com o corpo de Eleuzi Silva Nascimento, 64, primeira pessoa morta em decorrência da Covid-19 em Mato Grosso do Sul.

Usando trajes que cobrem todo o corpo e a cabeça, dois funcionários da funerária carregaram o caixão do interior do hospital até o veículo e imediatamente seguiram para a cidade de Batayporã, a 185 quilômetros de Dourados.

Veja o vídeo:

O Campo Grande News apurou que o caixão será levado direto para o cemitério municipal de Batayporã, onde o corpo deve ser enterrado sem velório. A medida faz parte das ações adotadas pela prefeitura da cidade para impedir a proliferação do novo coronavírus.

Além de Eleuzi, Batayporã tem outros dois casos confirmados. Um dos infectados é a irmã de Eleuzi, de 59 anos de idade. Ela pegou o vírus em viagem recente a Bruxelas, na Bélgica, e está em isolamento domiciliar.

Conforme a Secretaria Estadual de Saúde, a paciente tinha “pneumopatia grave” – enfisema pulmonar –, o que dificultou o tratamento e rapidamente agravou o quadro. Ela procurou hospital em Nova Andradina no dia 16 de março e ficou internada até o dia 23. No dia 25, voltou à unidade, muito pior.

No dia 26 foi transferida para o Hospital da Cassems em Dourados, mas permaneceu em estado crítico. Às 12h30 desta terça-feira (31) foi declarado o óbito. Eleuzi era funcionária pública do Estado, agente de atividades educacionais, conforme consta no Portal da Transparência do governo.