ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

Secretário de saúde lamenta morte e apela mais uma vez: “fiquem em casa”

Diagnosticada com a Covid-19 no dia 24, paciente de 64 anos morreu no Hospital de Cassems em Dourados

Por Anahi Zurutuza e Liniker Ribeiro | 31/03/2020 15:43
Secretário de Saúde de MS, Geraldo Resende, deu coletiva e divulgou nota nesta tarde (Foto: Liniker Ribeiro)
Secretário de Saúde de MS, Geraldo Resende, deu coletiva e divulgou nota nesta tarde (Foto: Liniker Ribeiro)

Em coletiva no início da tarde desta terça-feira (31) e em nota encaminhada à imprensa, além de confirmar a primeira morte por Covid-19 (causada pelo novo coronavírus) em Mato Grosso do Sul, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, mais uma vez fez o apelo: “fiquem em casa”.

O chefe da pasta explicou que no Estado ainda não existe a chamada transmissão comunitária do vírus, quando não é possível mais identificar o foco do contágio, segundo ele, “graças à colaboração da população”, que se isolou.

“Aqui fazemos mais um apelo, fiquem em casa, é o melhor caminho, o melhor remédio para que tenhamos tudo sob controle”, afirmou Resende.

O secretário recomenda que prefeitos não cedam a pressões do setor econômico e mantenham medidas restritivas para evitar a circulação de pessoas. “Estamos solicitando aos prefeitos que não abrandemos as restrições”.

Resende não detalhou, mas disse que a secretaria está planejando mais limitações. “Nós da SES estamos enviando ao governador mais medidas que possam ser construídas dentro do Estado. Vamos manter todas as medidas já anunciadas e vamos discutir com o governador e secretarias quais medidas podemos adiantar, no sentido de aprimorar, ou ser endurecidas”.

O secretário informou ainda que a SES vai equipar cidades menores com respiradores e leitos de UTI (Unidades de Tratamento Intensivos). Eleuzi Silva Nascimento, de 64 anos, a primeira pessoa morta em decorrência da Covid-19 em Mato Grosso do Sul, precisou ser transferida para Dourados, porque no dia 24 de março, quando chegou com insuficiência respiratória grave no Hospital da Cassems de Nova Andradina, precisou de UTI, leito que não existia no local.

“Estamos trabalhando intensamente para disponibilizar tudo o que for possível, intimando processos licitatórios, para equipar as grandes regiões, Nova Andradina, Paranaíba, Costa Rica, Coxim”.

A morte – A paciente de 64 anos, ainda conforme o SES, tinha uma “pneumopatia grave” – enfisema pulmonar –, o que dificultou o tratamento e rapidamente agravou o quadro. Ela procurou hospital em Nova Andradina no dia 16 de março e ficou internada até o dia 23. No dia 24, voltou à unidade, muito pior.

A internação no Hospital da Cassems em Dourados foi no dia 25 deste mês. O Campo Grande News apurou que Eleuzi teve morte cerebral (não foi divulgado o dia), todos os protocolos foram cumpridos e às 12h30 desta terça-feira (31), foi declarado o óbito.

Eleuzi era funcionária pública do Estado, agente de atividades educacionais, conforme consta no Portal da Transparência do governo, e morava em Batayporã. Segundo a investigação da SES, ela teve contato com duas irmãs que voltaram de viagem à Bélgica, país europeu, assintomáticas. Uma das familiares também testou positivo para a doença, além de dois profissionais de saúde que tiveram contato com a paciente em Nova Andradina.