A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

17/06/2019 10:36

Delegado é removido depois de sumiço de 100 quilos de cocaína

O Diário Oficial do Estado de hoje (17) também traz a remoção do delegado regional de Aquidauana, Evandro Luiz Banheti Corredato

Ângela Kempfer
Fachada da delegacia de Aquidauana. (Foto: Giselli Figueiredo)Fachada da delegacia de Aquidauana. (Foto: Giselli Figueiredo)

O delegado titular Eder Oliveira Moraes foi removido de Aquidauna, depois do sumiço de cerca de 100 quilos de cocaína de dentro do depósito da delegacia. A droga desapareceu na semana passada e a informação é que uma advogada da cidade também foi presa por envolvimento no furto da cocaína que havia sido apreendida durante operação na região.

Eder foi transferido para Selvíria e sai da delegacia a 135 quilômetros da Capital, para trabalhar em unidade a 404 quilômetros de Campo Grande. Ele terá 10 dias a contar de hoje para providenciar a mudança, enquanto isso, quem assume é o adjunto Wilkson Vasco Francisco Lima.

O Diário Oficial do Estado de hoje (17) também traz a remoção do delegado regional de Aquidauana, Evandro Luiz BanhetiCorredato, para a Delegacia Geral de Campo Grande. Como a transferência de ambos é "ex-offício", por necessidade ao serviço, os dois também receberão um salário integral extra para custos com a troca de endereço.

Sumiço - A notícia do desaparecimento da droga foi publicada pelo Campo Grande News em 11 de junho. Um dia depois, a Corregedoria da Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o sumiço dos 100 quilos de cocaína de dentro da 1ª Delegacia  de Aquidauana, inclusive, ventilando a possibilidade de participação de policiais civis. 

Em nota, a Polícia Civil informou que, o furto ocorreu mediante escalada e arrobamento, mas não descartou a participação de servidores da delegacia. "Caso se confirme qualquer colaboração por parte de servidor policial civil na prática delituosa, serão instaurados procedimentos administrativos conforme previsão na legislação vigente".

Ainda conforme o texto, por questões de segurança e para não atrapalhar as investigações, não foi confirmado o tipo da droga, nem a quantidade furtada. A DGPC não confirmou prisões durante a investigação, nem comentou as transferências publicadas nesta segunda-feira.

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions