A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

08/12/2015 16:10

Governos enviam 1,7 mil kits e seis equipes a áreas atingidas por chuvas

Governador anunciou nesta terça em Amambai que seis equipes vão atender cidades prejudicadas pelas chuvas na região sul de MS

Helio de Freitas, de Dourados
Reinaldo, Gilberto Occhi e Sérgio Barbosa, em Amambai, nesta terça (Foto: Chico Ribeiro/Divulgação)Reinaldo, Gilberto Occhi e Sérgio Barbosa, em Amambai, nesta terça (Foto: Chico Ribeiro/Divulgação)

Parceria entre governo de Mato Grosso do Sul, governo federal e prefeituras vai fazer a recuperação de estradas para permitir acesso aos municípios atingidos pela chuva na região sul do Estado. A união de forças foi definida nesta terça-feira (8), durante visita do ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi. Ele e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) se reuniram com prefeitos da região, na Câmara de Vereadores de Amambai, a 360 km de Campo Grande.

De acordo com a assessoria de Reinaldo, além da recuperação de acessos aos municípios, a parceria vai oferecer ajuda humanitária às famílias atingidas pela chuva.

Ministro sobrevoou região – Antes da reunião com 11 prefeitos, três vices e um presidente de Câmara, Gilberto Occhi e Reinaldo Azambuja sobrevoaram a região sul para verificar os locais mais devastados pelo temporal. O governador já tinha sobrevoado a região nesta segunda-feira (7), com os secretários Marcelo Migliori (Infraestrutura) e Sérgio de Paula (Governo).

Conforme a assessoria, o governo do Estado vai enviar seis equipes para atender a região e ajudar na reconstrução das estradas. Já o governo federal vai oferecer inicialmente ajuda humanitária e posteriormente poderá ajudar financeiramente as prefeituras para a recuperação dos acessos.

“A Defesa Civil e o próprio ministro disseram que eles [governo federal] podem fazer transferências diretamente às prefeituras para essa emergência: para óleo diesel, para locação de equipamentos e para fortalecer o parque de máquinas. O governo do Estado também, nessa parceria que estamos construindo, está mandando seis novas equipes que vão ficar especificamente para atender as estradas municipais, o maior número de rodovias, dentro dos municípios”, afirmou Reinaldo.

O governador acredita ser possível restabelecer em curto espaço de tempo os acessos destruídos pela chuva da semana passada: “Se nós somarmos os esforços, com esse recurso que vêm direto para as prefeituras para contratar diesel e novos equipamentos, com as seis equipes que o governo do Estado está mandando, rapidamente nós restabelecemos, pelo menos onde está intransitável, um tráfego melhor e um livre acesso a essas regiões”.

Pontes de concreto – Ainda segundo a assessoria de Reinaldo, uma das possibilidades analisadas é a substituição das pontes de madeira por estruturas de concreto.

Gilberto Occhi afirmou que vai avaliar essa possibilidade e garantiu a ajuda humanitária com doações de água potável, cestas básicas, colchões e kits de limpeza e higiene. Ele afirmou que haverá um esforço conjunto de governos federal, estadual e municipais pare reconstruir pontes, estradas e proteger as famílias.

Kits para ajuda – Gilberto Occhi anunciou que o governo federal enviará 1.700 kits de ajuda humanitária para auxiliar as famílias afetadas pelas enchentes em Mato Grosso do Sul. Ele afirmou que a União apoiará a reconstrução das áreas destruídas e o restabelecimento das estradas vicinais.

“Nesse primeiro momento, a prioridade é atender a população afetada, com cestas básicas, kits de limpeza, kits de higiene pessoal, kits dormitório e colchões. Já colocamos esse material à disposição do estado, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional”, anunciou o ministro.

De acordo com a assessoria do Ministério da Integração Nacional, Gilberto Occhi reforçou que o governo federal efetuará o reconhecimento de situação de emergência nos 14 municípios atingidos após receber a solicitação dessas cidades. Ele disse ao governador e aos prefeitos que o plano de trabalho para reconstrução das áreas atingidas seja concentrado na Defesa Civil Estadual, para facilitar o trâmite e liberação dos recursos do governo federal.

“Dessa maneira, os municípios que não atingirem os índices de atendimento poderão ser contemplados. Em alguns casos, se essas solicitações forem feitas individualmente algumas cidades podem não alcançar os critérios de atendimento do governo federal”, disse Gilberto Occhi.

Estragos da chuva – Gilberto Occhi, Reinaldo e prefeitos assistiram a um vídeo e à apresentação do coordenador de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul, coronel Isaías Ferreira Bittencourt, sobre os estragos causados pela chuva. O oficial informou que pelo menos 80 pontes (totalizando 1.200 metros) foram destruídas e mais de três mil quilômetros de estradas e 8 quilômetros de drenagem foram danificadas. Também foram registrados desabamentos e erosões em áreas habitacionais.

“Toda a região espera uma trégua da chuva”, afirmou o prefeito de Amambai, Sergio Barbosa (PMDB), preocupado com a colheita, que tem início em janeiro. “Os prefeitos querem orientação da União para não entrarem em desespero. Estamos preocupados também com a dengue e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti”, disse Barbosa.

Os municípios em situação de emergência por causa da destruição de pontes, rodovias, galerias e dutos são Tacuru, Naviraí, Itaquiraí, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Amambai, Iguatemi, Sete Quedas, Paranhos, Caarapó, Juti, Novo Horizonte do Sul, Japorã e Eldorado.

Prefeitos de cidades atingidas pela chuva participaram da reunião (Foto: Chico Ribeiro/Divulgação)Prefeitos de cidades atingidas pela chuva participaram da reunião (Foto: Chico Ribeiro/Divulgação)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions