A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 18 de Agosto de 2019

04/03/2019 23:40

Homem será julgado três anos após matar idosa com 23 facadas

Gilmar Darcy Muller era procurado por crimes cometidos em Cascavel(PR), Campo Grande e Rio Brilhante

Adriano Fernandes
Após matar Juraci, Gilmar fugiu de Rio Brilhante e só foi preso em 17 de janeiro de 2017 no município de Rondonópolis, Mato Grosso. (Foto: Reprodução Agora Mato Grosso/Rio Brilhante em Tempo Real)Após matar Juraci, Gilmar fugiu de Rio Brilhante e só foi preso em 17 de janeiro de 2017 no município de Rondonópolis, Mato Grosso. (Foto: Reprodução Agora Mato Grosso/Rio Brilhante em Tempo Real)

Quase três anos após ter matado Juraci França, de 78 anos, com 23 facadas, Gilmar Darcy Muller será levado a júri no próximo dia 28 de março no Fórum de Rio Brilhante, cidade que fica a 163 quilômetros de Campo Grande.

O crime ocorreu no dia 03 de junho de 2016 na casa da filha da vítima, no assentamento Silvio Rodrigues que é distrito de Prudêncio Thomaz. 

Após matar Juraci, Gilmar fugiu de Rio Brilhante e só foi preso em 17 de janeiro de 2017 no município de Rondonópolis, Mato Grosso, onde foi denunciado pela esposa por violência doméstica, depois que ele ameaçou a mulher de morte e ela acionar a Policia Militar.

Ainda conforme o site Rio Brilhante em Tempo Real à época foi constatado que Gilmar, também conhecido como Cigano tinha outros três mandados de prisão em aberto, por crimes cometidos em Cascavel(PR), Campo Grande e Rio Brilhante.

Pelo assassinato da idosa, cigano responde por homicídio qualificado, por motivo fútil e ação que impossibilitou a defesa da vítima.

O crime - Segundo consta no boletim de ocorrência, a idosa e a filha, Roseli França da Silva, haviam se mudado para a casa há apenas dois dias. A mulher relatou que arrendava a terra para plantação de milho para um conhecido.

Um dia antes do crime, 2 de junho, Gilmar, mais conhecido como Cigano, foi até a casa de Roseli procurando pelo homem que arrendava as terras, mas foi informado que o arrendatário não morava no local.

No dia do crime, Roseli foi até Nova Alvorada do Sul para vender milho, quando então, a mãe ligou para ela informando que Gilmar estava na casa delas pedindo socorro pois estava fugindo da polícia e bateu o carro. Com a colisão, a mulher de Gilmar se feriu e por este motivo precisava de ajuda.

A vítima então passou o telefone para Roseli falar com Gilmar, que pediu para ele ter paciência, pois logo retornaria para casa. O autor do crime então devolveu o celular para Juraci que disse para a filha que Gilmar estava ameaçando a todos de morte, momento em que a ligação caiu.

Roseli tentou por várias vezes falar novamente com a mãe, mais a chamada era encaminhada para a caixa de mensagem. A filha da vítima ligou para a vizinha pedindo que ela fosse até o local saber o que estava acontecendo.

Antes de ir até o sítio, a vizinha acionou a Polícia Militar e quando chegou na casa, viu a idosa caída no chão da cozinha, já sem vida. A PM, Polícia Civil e a perícia de Dourados foram até o local e constataram a morte de Juraci.

A perícia identificou que a idosa foi morta com 23 facadas, sendo dez nas costas, duas no tórax, uma facada no abdômen, três no ombro esquerdo, uma no pescoço, uma na mão direita, duas na mão esquerda e três na axila esquerda.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions