ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Hospital militar de Assunção recusa brasileiro que matou Jorge Rafaat

Sergio Lima dos Santos, integrante do Comando Vermelho e recrutado pelo PCC, manuseou metralhadora usada no ataque a narcotraficante; ontem ele fez pose para foto

Helio de Freitas, de Dourados | 29/06/2016 14:16
Algemado em cama de hospital, Sergio dos Santos faz sinal de positivo ao ser fotografado (Foto: Direto das Ruas)
Algemado em cama de hospital, Sergio dos Santos faz sinal de positivo ao ser fotografado (Foto: Direto das Ruas)

A direção do hospital militar de Assunção, no Paraguai, recusou receber o brasileiro Sergio Lima dos Santos, 42, que manuseou a metralhadora antiaérea calibre 50, usada para matar o narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, no dia 15 deste mês em Pedro Juan Caballero.

Por medida de segurança, já que existe temor de uma tentativa de resgate, a Polícia Nacional e o Ministério Público paraguaios tentaram transferi-lo do hospital de Fernando de la Mora, mas a direção da unidade militar recusou o paciente.

O Campo Grande News apurou que outras tentativas estão sendo feitas hoje, mas até agora nenhum outro hospital aceitou o paciente. Baleado durante o ataque por seguranças do narcotraficante – conhecido na fronteira como Saddam e que comandava o fornecimento de drogas para o Brasil – o ex-soldado do Exército brasileiro que está consciente e se recupera bem dos ferimentos.

Abandonado em um hospital de Pedro Juan Caballero após receber os primeiros socorros – situação que está sendo investigada pela polícia paraguaia, que tenta descobrir quem o atendeu depois do ataque a Rafaat – Sergio foi levado para a região metropolitana da capital e está sob custódia de homens da Polícia Nacional do país vizinho.

Ontem ele fotografado na cama do hospital, possivelmente por um funcionário do local. Mesmo entubado e algemado na cama, o pistoleiro fez sinal de positivo quando viu que estava sendo fotografado.

Na quinta-feira passada, o pistoleiro tentou fugir do hospital usando uma medalha da Virgem Maria para abrir a algema que o prende na cama. Os policiais que fazem a vigilância no local perceberam e evitaram a fuga.

Consórcio criminoso – Policiais paraguaios investigam indícios de que as facções criminosas brasileiras PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho se associaram ao traficante paraguaio Jarvis Chimenes Pavão, preso há seis anos, para eliminar Jorge Rafaat.

Sérgio de Souza seria ligado ao Comando Vermelho e teria sido recrutado para manusear a metralhadora, já que tem conhecimentos bélicos adquiridos no período em que foi soldado do Exército.

Nos siga no Google Notícias