ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  29    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Indígenas e eletricistas caem na dança para celebrar energia elétrica em aldeia

Profissionais acompanharam a dança típica dos indígenas após instalarem placas solares na aldeia

Por Adriano Fernandes | 12/10/2021 20:13


A chegada da energia elétrica na aldeia Córrego do Ouro, em Porto Murtinho, foi motivo de festa entre os moradores do local e com direito a convidados para lá de especiais. Os eletricistas que fizeram a instalação do sistema de energia solar na aldeia “caíram” na dança em cerimônia de agradecimento dos indígenas pela conclusão dos trabalhos.

O resultado do convite foi um vídeo para lá de divertido e espontâneo dos técnicos tentando acertar o passo enquanto eram conduzidos pelos adolescentes e crianças do povoado ao som da flauta e tambor. Todos os moradores fizeram questão de agradecer pessoalmente pelo empenho dos funcionários, que até salva de palmas ganharam.

Na cultura indígena, a dança é celebrada em várias ocasiões, desde rituais sagrados, homenagens e comemorações, como a do dia em que os técnicos implantaram o sistema de geração solar no povoado.

Segundo a Energisa, os eletricistas que aparecem no vídeo são funcionários de uma das empresas empreiteiras da concessionária e são responsáveis pela execução dos serviços do Ilumina Pantanal, projeto que está justamente levando energia a cerca de 5 mil pessoas nas regiões mais afastadas do bioma.

"Já havíamos recebido elogios e belos depoimentos e, uma vez, um churrasco surpresa preparado por fazendeiros locais. Mas este foi o mais belo ato de gratidão que recebemos até este momento no projeto", comenta Heber Selvo, gerente de projeto.

Heber conta que o gesto dos indígenas foi gratificante para todos dos funcionários. "As equipes ficaram surpresas e muito emocionadas, guardarão este momento como um marco em suas trajetórias profissionais e pessoais", completa.

O sistema promete ser um divisor de águas na vida das famílias que já convivem com a dificuldade de acesso ao que há de mais básico. A aldeia Córrego do Ouro fica na reserva Kadiwéu a 15 quilômetros da rodovia MS-339 e a cerca 55 quilômetros da cidade mais próxima, Bodoquena, daí o motivo para tanta comemoração.

Até o dia 30 de setembro, foram realizadas 20 ligações solares em áreas afastadas do Pantanal. A iniciativa também abrange os municípios de Corumbá, Ladário, Aquidauana, Coxim, Miranda e Rio Verde e tem projeção de atender a 2.167 moradias até meados de 2022. Do total das novas unidades consumidoras, 77 receberão modelo tradicional de transmissão de energia elétrica e outras 2.090 serão no sistema solar.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário