A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

30/06/2019 21:00

Jovem que matou e carbonizou mulher é preso e diz que crime foi vingança

Suspeito disse ter cometido o crime depois de saber que a vítima tinha intenção de mandar matar o irmão dele

Clayton Neves e Helio de Freitas, de Dourados
Suspeito preso na delegacia de Ponta Porã. (Foto: Porã News) Suspeito preso na delegacia de Ponta Porã. (Foto: Porã News)

Preso na tarde deste domingo (30), Claudemir Barbosa Ferreira, de 23 anos, confessou ter matado Maria Cristina Rojas, 54 anos, encontrada carbonizada pela manhã na casa onde morava, em Ponta Porã. À polícia, o suspeito disse ter cometido o crime por vingança depois de saber que a vítima tinha intenção de mandar matar o irmão dele.

De acordo com informações do site Porã News, o autor contou à polícia que, na noite de sábado (29), aproveitou que a vítima estava em um bar e se aproximou dela. Após algum tempo bebendo, Maria Cristina teria o convidado para ir até a casa dela.

Durante a madrugada, Claudemir confessou que deu um mata-leão na mulher, que desmaiou. Em seguida, ele a deixou em cima da cama, ateou fogo no colchão e fugiu do local.

Após o crime, o suspeito se escondeu na casa da mãe, no Assentamento Itamarati. Por volta das 15 horas, policiais foram até o local depois de receber denúncia de que Claudemir estava na região. Ele foi preso enquanto tentava se esconder em um dos cômodos da residência.

Dois rapazes que estavam na casa, um de 23 e outro de 24 anos, também foram presos porque foram flagrados com um revólver calibre 38.

O caso - Maria Cristina Rojas, 54 anos, foi encontrada carbonizada na casa que vivia na região rural no Durcelina, na manhã deste domingo (30).

O fogo atingiu três cômodos da casa. Na garagem, foi localizada a caminhonete da vítima que foi parcialmente consumida pelas chamas. No local havia uma mangueira e uma garrafa que, possivelmente, foram utilizadas para retirar o combustível do veículo e atear fogo na vítima.

A filha de Maria Cristina, uma adolescente de 17 anos, contou à polícia que foi dormir por volta das 4 horas após a mãe chegar em casa com um homem. Ela acordou somente com o cheiro da fumaça e ainda foi ao quarto tentar salvar a mãe, mas ela já havia morrido.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions