ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 10º

Interior

Justiça mantém prisão de cabeleireira suspeita de matar homem a facadas

Pela segunda vez o pedido da defesa não foi atendido; crime está perto de completar dois meses

Liniker Ribeiro | 14/08/2018 17:44
Joice Espíndola de Castro (Foto: Arquivo Pessoal)
Joice Espíndola de Castro (Foto: Arquivo Pessoal)

A Justiça negou, pela segunda vez, o pedido de liberdade dos advogados da cabeleireira Joice Espíndola da Silva, de 35 anos, suspeita de matar a facadas o vendedor Camilo de Freitas da Silva, 28 anos, depois de vê-lo brigando com a esposa. O crime aconteceu no dia 20 de maio, no cruzamento das ruas Josino da Cunha Viana e João Carrato, no Centro de Três Lagoas – a 338 quilômetros da Capital.

A decisão, de acordo com o site JP News, é do TJMS (Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul). O pedida da defesa era para que a suspeita deixasse a prisão e passasse a cumprir prisão domiciliar. Os advogados justificaram afirmando que Joice é mãe de três filhos - de 11, 16 e 18 anos - que dependeriam econômica e psicologicamente dela, mas o pedido não foi aceito pelos desembargadores.

A primeira liminar expedida pelos advogados também foi negada pela Justiça há cerca de um mês.

O caso - Camilo e a esposa brigavam no cruzamento onde o crime aconteceu, quando Joice desceu de sua camionete e interveio na discussão. O rapaz acabou sendo assassinado a facadas, no local.

A principio, a cabeleireira estava na companhia do filho de 16 anos, mas testemunhas indicaram à polícia, no dia da reconstituição do crime, que uma outra pessoa estaria na camionete conduzida pela suspeita. A mulher, que fugiu do local após o crime, se apresentou na delegacia no dia 23 do mesmo mês.

Nos siga no Google Notícias