ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Major da reserva é preso por descumprir medidas sanitárias

Denúncia aconteceu por conta de suposta aglomeração na casa dele; defesa alega que era "evento familiar"

Por Guilherme Correia | 13/06/2021 15:35
Fachada da Delegacia de Polícia Militar, em Miranda, onde o caso foi registrado inicialmente (Foto: Reprodução/Google Maps)
Fachada da Delegacia de Polícia Militar, em Miranda, onde o caso foi registrado inicialmente (Foto: Reprodução/Google Maps)

Major da reserva da Polícia Militar, de 59 anos, foi detido em Miranda, município distante 201 quilômetros de Campo Grande, por desacatar equipes de vigilância sanitária e policias militares, bem como por desrespeitar medidas preventivas contra a covid-19.

Denúncias anônimas sugerem até que ele utilizou um revólver para ameaçar fiscais.

O advogado dele, o deputado estadual Evander Vendramini (PP), afirmou ao Campo Grande News que não chegou a haver “aglomeração com mais de 10 pessoas no local”, já que se tratava da festa de aniversário do militar apenas com familiares, e que ele não ameaçou ninguém com uso de arma.

Ele relata que passava por Miranda enquanto se dirigia à Capital, quando foi chamado no local para defender o major, que é seu amigo. “Fui com a filha dele, que também é advogada, para o quartel. Ele foi ouvido só às 6h da manhã, e aí conversei com ele. Me disseram que não teve aglomeração, era só uma festa de família com os familiares mesmo”.

Não sei se discutiram lá. No começo a vigilância sanitária foi lá, averiguou e foram embora. Aí mais tarde, junto com a Polícia Militar, foram com ordem para deter ele”.

Atualmente no Presídio Militar, em Campo Grande, ele aguarda passar por Audiência de Custódia para dar continuidade à apuração do caso. Vendramini completa dizendo que a denúncia pode ter tido até caráter político: “meio que é uma perseguição. Ele é uma pessoa tranquila, já serviu em Corumbá, Miranda”, diz.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário