A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

14/12/2015 12:36

Marinha simula operação de guerra na praia do Porto Geral

Liana Feitosa
A operação simulada executou ações que seriam adotadas pelo comando caso a cidade fosse tomada por inimigos na região ribeirinha. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)A operação simulada executou ações que seriam adotadas pelo comando caso a cidade fosse tomada por inimigos na região ribeirinha. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)

No Dia do Marinheiro, ontem (13), o Comando do 6º Distrito Naval de Ladário, a 419 quilômetros de Campo Grande, fez simulação de uma operação de guerra na prainha do Porto Geral com cerca de 300 militares.

A operação simulada executou ações que seriam adotadas pelo comando caso a cidade fosse tomada por inimigos na região ribeirinha.

“Essa simulação de guerra integra nossas atividades de honras e comemoração ao Dia do Marinheiro e a data voltada ao nosso patrono, o Marquês de Tamandaré", contextualizou o contra-almirante, Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar, comandante do 6º Distrito Naval, ao site Diário Corumbaense.

 

(Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)(Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)

Além do efetivo de 300 militares, foram utilizados navios, helicópteros, lanchas e paraquedistas. As ações prenderam a atenção do público.

“Gosto muito dos homens que têm coragem de saltar de paraquedas. Sempre que tem salto no aeroporto meu pai me leva pra ver. Não tenho coragem de saltar, mas gosto de ver a coragem deles e quem sabe um dia eu consigo fazer um salto”, afirmou José Henrique Fuentes, de 14 anos.

Alguns moradores, que presenciaram a simulação, aproveitaram a oportunidade para registrar os momentos no celular. Além de “selfies” com os militares, vídeos foram gravados da simulação de guerra.

"Decidi fazer o vídeo para mostrar para minha família que mora no interior de Minas Gerais, lá não temos esse tipo de atividade", disse Saúl Ribeiro, de 46 anos.

"Sou caminhoneiro e vim entregar uma carga na Bolívia, antes de retornar, vim passear no Porto da cidade porque é meu dia de descanso e acabei presenciando esse adestramento”, completou ao Diário Corumbaense.

Já o estudante Danilo Porto Serra, de 17 anos, compartilhou que sempre sonhou em seguir a carreira militar. “Admiro a profissão de militar, primeiro porque é necessário estudar, fazer concurso para seguir carreira e isso já demonstra dedicação, segundo porque em caso de guerra, contribuímos com o país", analisa.

Alguns moradores, que presenciaram a simulação, aproveitaram a oportunidade para registrar os momentos no celular. Além de “selfies” com os militares, vídeos foram gravados da simulação de guerra. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)Alguns moradores, que presenciaram a simulação, aproveitaram a oportunidade para registrar os momentos no celular. Além de “selfies” com os militares, vídeos foram gravados da simulação de guerra. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)
Além do efetivo de 300 militares, foram utilizados navios, helicópteros, lanchas e paraquedistas. As ações prenderam a atenção do público. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)Além do efetivo de 300 militares, foram utilizados navios, helicópteros, lanchas e paraquedistas. As ações prenderam a atenção do público. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions