ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Morto em confronto, Abagge planejava novo crime

Ele estaria em Fátima do Sul para montar plano de execução de sua ex-convivente

Aline dos Santos | 11/09/2022 14:41
Luccas foi preso em junho, fugiu em 3 de setembro da PED e foi morto ontem. (Foto: Reprodução)
Luccas foi preso em junho, fugiu em 3 de setembro da PED e foi morto ontem. (Foto: Reprodução)

Morto em confronto com a polícia sete dias depois de fuga cinematográfica, Luccas Abagge, 32 anos, estaria em Fátima do Sul para montar plano de execução de sua ex-convivente. De acordo com a Polícia Civil, o criminoso, que acumulava condenação a 112 anos de prisão no Paraná, suspeitava que ela o teria denunciado quando ele foi capturado em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai. Ele já teria comprado, inclusive, armas de fogo.

A prisão de Luccas foi em de 18 de junho deste ano. Na ocasião, ele foi preso quando saiu do Paraguai e ingressou no Brasil. Ele conduzia um Celta, com placas de Catalão (Goiás), pela Avenida Tiradentes. Vindo de Pedro Juan Caballero, o veículo estava com os faróis apagados e, segundo a polícia, era “conduzido de forma suspeita”.

Ele apresentou CNH (Carteira Nacional de Habitação) em nome de Evandro, mas mesmo assim foi identificado. Com condenações por crime no Paraná, Luccas é filho de Beatriz Abagge, conhecida pelo “Caso Evandro”: a morte do menino de 6 anos  em Guaratuba (Paraná), no ano de 1992.

Na madrugada de 3 de setembro, ele fugiu da PED (Penitenciária Estadual de Dourados), o maior presídio de Mato Grosso do Sul. O Campo Grande News apurou que após serrar a grade da janela da cela, Luccas Abagge saiu ao lado do pavilhão onde fica a padaria e de frente para celas do raio I. Depois se arrastou por pelo menos 50 metros do raio II até a muralha. Para chamar ainda menos atenção, ele estava de preto. Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que o preso se enrolou em sacos de lixo.

Foragido, ele passou a ser monitorado em Fátima do Sul. Na tarde de ontem, a polícia foi ao seu esconderijo, um imóvel no Jardim São Paulo. Houve confronto e Abagge foi morto.

Assassinatos - Em janeiro de 2019, Luccas foi condenado a 54 anos por homicídio, pena posteriormente reduzida para 48 anos. Após o crime por disputa por ponto de vendas de drogas em Curitiba, a sua fuga envolveu o roubo de três veículos, numa ação classificada como cinematográfica.

Em julho de 2019, nova condenação: a 32 anos por matar um adolescente em Curitiba.Um segundo adolescente ficou ferido.  Em 2016, ele fugiu da Penitenciária Central do Estado, na Região Metropolitana da capital paranaense.

Nos siga no Google Notícias