ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Operação apreendeu 5 toneladas de alimentos de 14 comércios

Secretaria Municipal de Saúde de Itaporã também foi alvo das ações; foram apreendidos computadores e celulares

Por Bruna Marques e Ana Beatriz Rodrigues | 12/04/2024 10:25
Carne vendida em açougue apreendida durante fiscalização (Foto: Direto das Ruas)
Carne vendida em açougue apreendida durante fiscalização (Foto: Direto das Ruas)

“Operação Honey Meat“, deflagrada nesta quinta-feira (11), fiscalizou 14 comércios de Itaporã, distante 234 quilômetros de Campo Grande. Durante a ação, foram apreendidas 5 toneladas de alimentos que eram vendidos de forma irregular.

De acordo com o delegado titular da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), responsável pela operação, três pessoas foram presas em flagrante durante os cumprimentos de mandados de busca e apreensão.

“O objetivo da operação era combater o abate de carne clandestina, concorrência desleal, sonegação de impostos e uma forma de proteger o rebanho do Centro-Oeste contra a doença da vaca louca, tuberculose bovina, que aflige os agricultores”, pontuou.

Edvaldo Aparecido Leite, responsável pelo Açougue Carnelândia, foi preso em flagrante. No local foram apreendidos 900 kg de carne sem rótulo com informações sobre produção e validade, além de vários produtos armazenados de forma precária e sem higiene sendo comercializados.

Outro registro traz como autor rapaz de 21 anos, identificado como Andreas Gustavo Nogueira. Ele é filho do dono do Mercado do Portuga e no local foram apreendidas etiquetas de fabricação de linguiça e espetinho, 515 maços de cigarro de origem estrangeira, além de mais 51 pacotes soltos do produto. Também foram encontradas 61 unidades de essência de narguilé proveniente de outro país e 19 caixas de fogos de artifício.

Consta no documento que Andreas e a mercadoria foram levados para a delegacia de Itaporã para procedimentos de praxe.

Policial da Decon durante fiscalização em comércio de Itaporã (Foto: Direto das Ruas)
Policial da Decon durante fiscalização em comércio de Itaporã (Foto: Direto das Ruas)

Já o terceiro boletim diz que as equipes estiveram no Mercado Duarte, onde foi constatada comercialização e manipulação de produtos de origem animal em desacordo com a legislação vigente, sem rótulo com data de produção e validade, e Hevanio de Almeida Duarte, filho do proprietário, se apresentou como responsável pelo local.

Ao todo, foram apreendidos 23 kg de linguiça congelada, 9,8 kg de espetinhos congelados, 14,9 kg de carne bovina congelada, 10 kg de carne suína congelada, todas sem rótulos. Além de tripa salgada, toucinho de porco, frango temperado sem registro de órgão de inspeção, mais 22 litros de banha suína, mortadela fatiada e salsicha congelada, com ambas as irregularidades.

Mais alvos - As equipes foram até a cidade fiscalizar outros estabelecimentos como farmácias e mercados. Locais que seriam fornecedores de produtos de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde.

Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão, os policiais confiscaram computadores e celulares de servidores da Secretaria Municipal de Saúde e do SIM (Serviço de Inspeção Municipal).

Além disso, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do gerente municipal de saúde, Dogmar Ângelo Petek. O celular dele foi apreendido e conduzido para prestar esclarecimentos na delegacia, mas foi ouvido e liberado. "Os alvos da prefeitura estão sob sigilo porque ainda estamos em investigação. Esperamos que em três ou quatro meses possamos encerrá-las", informou o delegado.

A reportagem ligou para a Prefeitura de Itaporã para tentar contato com o gerente municipal de saúde, mas as chamadas não foram atendidas.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias