ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Paraguai comprou 8 milhões de doses, mas recebeu menos de 500 mil vacinas

Imunização patina em país que tem 1.100 km de fronteira com MS e enfrenta nova onda da covid

Por Helio de Freitas, de Dourados | 25/05/2021 09:47
Chegada de 250 mil doses de vacinas, ontem no Paraguai (Foto: Última Hora)
Chegada de 250 mil doses de vacinas, ontem no Paraguai (Foto: Última Hora)

Antes citado como bom exemplo no combate à pandemia de covid-19, o Paraguai vê seu frágil sistema de saúde entrar em colapso e as mortes aumentarem diariamente enquanto a vacinação patina e ainda não chegou nem a 1% da população, estimada em sete milhões de pessoas.

O país que tem 1.100 km de fronteira com Mato Grosso do Sul também entrou tarde na corrida pela vacina e agora vê o número de óbitos aumentar diariamente enquanto os leitos de UTI estão com taxa de ocupação de 100% nas principais cidades.

Dos 8,2 milhões de doses que o governo do presidente Mario Abdo Benítez informou ter comprado, apenas 484 mil foram entregues até agora. A maior parte (4,2 milhões) foi comprada através do consórcio Covax, da OMS (Organização Mundial da Saúde), mas apenas 170,4 mil foram entregues.

Dos 2 milhões de doses da Covaxin comprada da Índia, nenhuma chegou até agora ao território paraguaio. Já de 1 milhão de doses da vacina russa Sputnik V, só 64 mil foram entregues.

Segundo o jornal Última Hora, ontem chegaram ao Paraguai 250 mil doses da vacina Sinopharm, fabricada nos Emirados Árabes. O governo paraguaio aguarda ainda 400 mil doses da vacina Moderna, doadas pelo governo do Catar.

Questionado sobre a demora na chegada das vacinas no pior momento da pandemia de covid-19, o governo paraguaio alegou dificuldade dos fabricantes devido ao aumento da demanda mundial e restrições temporárias de exportação em países produtores em decorrência de novos picos de contágio em seus territórios.

Entre domingo e ontem, 114 pessoas morreram de covid-19 no Paraguai e foram registrados 2.720 novos casos. Atualmente, 566 pessoas estão internadas em todo o país.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário