ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  25    CAMPO GRANDE 33º

Interior

Paraguai faz transferência em massa de presos em cadeia da fronteira

Dezenove presidiários foram levados de Pedro Juan Caballero para a cadeia de Concepción

Por Helio de Freitas, de Dourados | 31/07/2021 11:48
Presos transferidos de Pedro Juan Caballero para presídio em Concepción (Foto: Divulgação)
Presos transferidos de Pedro Juan Caballero para presídio em Concepción (Foto: Divulgação)

Dezenove presidiários foram transferidos na noite desta sexta-feira (30), da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero para o presídio de Concepción, a 210 km de Mato Grosso do Sul.

A transferência ocorre em novo momento de tensão causado pela guerra entre quadrilhas rivais e por grupos de extermínio que atuam nas cidades-gêmeas Pedro Juan Caballero e Ponta Porã (a 323 km de Campo Grande).

Segundo fontes da fronteira, a remoção dos presos por determinação da Justiça ocorreu em sigilo e sob forte esquema de segurança. Pelo menos quatro deles seriam integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital). A facção criminosa brasileira é a principal força atualmente na fronteira.

Erik Atade Robles, Anderson Queiroz, Nataniel Silva e Wallisson Nunes, os quatro presos por tráfico de drogas, seriam os membros do PCC. Eles tinham sido presos em operação policial no distrito de Karapa'i, área de cultivo de maconha.

Além deles, segundo o jornal ABC Color, foram transferidos Rafael Massany Higuti, José Albert Lezcano, Óscar Ortega, Ramón Velázquez, Lucas de los Santos, Diego Alexander González e Rolando José Martínez (presos por agressão ou roubo qualificado); Francisco A. Díaz e René Fariña Robles (por roubo qualificado); Santos Julio Cano e Carlos David Agüero (violência familiar); Raimundo Galeano (abuso sexual); Lucas Daniel Acosta (roubo); Martín Chávez (narcotráfico) e Luis Abel Gonçalves (disparo intencional de arma de fogo).

Os presos foram levados em ônibus da Polícia Nacional. Agentes do Departamento de Concepción, do Departamento de Investigações Policiais de Amambay e integrantes do Grupo de Operações Especiais escoltaram os presos. Havia temor de tentativa de resgate, situação comum na fronteira.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário