ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  03    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Pneumologista é o 3º médico a morrer de covid em Dourados, que já soma 42 óbitos

O médico Antonio Carlos Monteiro estava internado há vários dias na UTI do Hospital Evangélico e morreu na tarde desta quinta

Por Helio de Freitas, de Dourados | 09/07/2020 17:03
O médico Antonio Carlos Monteiro morreu hoje em Dourados (Foto: Rádio Coração)
O médico Antonio Carlos Monteiro morreu hoje em Dourados (Foto: Rádio Coração)

Mais duas pessoas morreram nesta quinta-feira (9) em decorrência do novo coronavírus em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Entre as vítimas está o pneumologista Antônio Carlos Monteiro, 59. É o terceiro médico a morrer na cidade desde a semana passada com covid-19.

Bastante conhecido em Dourados, onde atendia em hospitais públicos e particulares, Monteiro estava internado na UTI do Hospital Evangélico desde junho. O quadro de saúde dele se agravou nos últimos dias.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o pneumologista estava internado na UTI do Hospital Evangélico desde o dia 28 de junho. Obeso e com hipertensão, Monteiro apresentou sintomas no dia 25 do mês passado e três dias depois a doença foi confirmada. A morte ocorreu nesta tarde.

No dia 1º deste mês, o médico Miguel Yoneda, 74, morreu depois de passar vários dias na UTI do HU (Hospital Universitário). Miguelito, como era conhecido, atendia em Ponta Porã e também no Hospital da Vida, em Dourados. Já na segunda-feira (6), a vítima foi o cardiologista Dirceu Ferreira Guimarães, 83.

Mais mortes - A outra vítima de hoje é um idoso de 89 anos, sem comorbidades relatadas. Ele apresentou os sintomas no dia 17 de junho e foi internado no dia 24, no Hospital da Vida, onde morreu.

Com as mortes do médico e do idoso, Dourados soma quatro óbitos por covid-19 desde ontem. As outras duas vítimas foram duas mulheres, de 84 e 31 anos, a mais jovem uma venezuelana que morava na cidade.

Moradora no distrito de Indápolis, a idosa de 84 anos, sem comorbidades relatadas, morreu na tarde de quarta-feira. Ela foi internada no dia 26 de junho no Hospital Santa Rita. Teste rápido deu positivo para covid-19. No dia 29 ela foi transferida para a UTI. A contraprova por exame molecular ocorreu no dia 4 deste mês.

A outra vítima tinha diabetes e obesidade. A venezuelana começou a sentir os sintomas na segunda-feira desta semana e foi levada para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Na terça-feira foi transferida para o Hospital Evangélico, onde morreu hoje de manhã.