ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Polícia conclui inquérito e indicia homem que matou ex-mulher por feminicídio

Caso foi enviado à Justiça, com possibilidade do aumento das qualificadoras devido o crime ter sido cometido na frente do filho de 14 anos

Por Danielle Valentim | 07/07/2018 15:46
Edson está preso à disposição da Justiça na Penitenciária Estadual de Dourados. (Foto: PC/Divulgação)
Edson está preso à disposição da Justiça na Penitenciária Estadual de Dourados. (Foto: PC/Divulgação)

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre o assassinato de Yara Macedo dos Santos, de 30 anos, e indiciou Edson Aparecido de Oliveira Rosa, de 35 anos, por feminicídio. A mulher foi morta na frente do filho de 14 anos, com um tiro na cabeça, no no Parque das Nações I, em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Autor está preso na PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

A delegada Paula Ribeiro, titular da Delegacia da Mulher de Dourados concluiu e indiciou Edson pelo crime de feminicídio contra cônjuge em situação de violência doméstica familiar por motivo torpe com recurso que dificultou a defesa da vítima.

O caso será enviado à Justiça, com possibilidade de aumento das qualificadoras, tendo em vista, o crime cometido na frente do filho do casal. Além disso, a polícia civil concluiu que houve a lesão corporal dolosa e descumprimento de ordem judicial por três vezes, já que tinha havia sido informado para manter distância de Yara.

Caso - O crime ocorreu na tarde do dia 25 de junho, no Parque das Nações, bairro da região leste de Dourados, a 233 km de Campo Grande. No meio da rua, Edson agrediu a ex-mulher com socos no rosto e deu um tiro na cabeça dela, na frente do filho do casal, de 14 anos. Yara foi levada ao hospital e morreu horas depois.

Yara falava ao telefone celular. O filho adolescente do casal, que acompanhava a mãe, contou que o pai tentou tomar o telefone dela. Edson alegou no depoimento à polícia que a ex-mulher estaria falando com o atual companheiro.

Ele foi preso no dia 26 de junho na rodoviária de Sidrolândia, quando se preparava para embarcar para Campo Grande, após investigação envolvendo o SIG (Serviço de Investigações Gerais) de Dourados e agentes da Polícia Civil em Maracaju e Sidrolândia.

Edson Rosa foi autuado em flagrante por feminicídio e levado para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). O delegado Rodolfo Daltro, chefe do SIG em Dourados, disse ao Campo Grande News que Edson confessou o crime e alegou ter matado a ex-mulher por suspeitar que ela tivesse outro relacionamento.

Também estão presos Aparecido de Oliveira Rosa, irmão de Edson, Gian Alex Paula de Oliveira e Josué Sobreira de Oliveira, que ajudaram na fuga do criminoso e esconderam a arma, um revólver calibre 38, apreendido ontem pela polícia.