A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

26/12/2015 09:43

Polícia segue rastros e tenta montar “quebra-cabeça” de sumiço de piloto

Aline dos Santos
Piloto estava em Ponta Porã a trabalho e sumiu desde o dia 13 de dezembro. (Foto: Arquivo Pessoal)Piloto estava em Ponta Porã a trabalho e sumiu desde o dia 13 de dezembro. (Foto: Arquivo Pessoal)

As polícias Civil e Federal investigam o sumiço do piloto Reverson Luis Bonan, 38 anos, passados 13 dias, o caso ainda tem muitas perguntas e poucas respostas. O desaparecimento foi no dia 13 de dezembro, em Ponta Porã, e pode ter várias motivações: sequestro para tráfico de drogas, queda de aeronave, pouso em local isolado.

“Há possibilidade de ter caído, crime dentro da aeronave, sequestro a fim de tráfico. Não descarta a possibilidade de estar em um local sem sinal. São muitas informações que precisam ser analisadas para dar tranquilidade à família. Desaparecimento é pior do que morte. Mas vamos encontrá-lo”, afirma o titular da 1ª delegacia de Ponta Porã, Jarley Inácio de Souza, ao comentar a angústia que marca as famílias com parente desaparecido.

A investigação esbarra na falta de registro de voos e dificuldade para ouvir pessoas, que estão em viagem de fim de ano. Conforme o delegado, Reverson, que mora em Cuiabá (Mato Grosso), veio a Ponta Porã para trabalho freelancer de piloto e estava na casa de amigos. “Vamos rastrear os passos dele, montar o quebra-cabeça”, diz o delegado.

Ele foi visto pela última vez no domingo, dia 13. Na ocasião, disse que faria voo na segunda-feira. Foi apurado que ele pilotou aviões da empresa Agricenter, do ramo de pulverização aérea agrícola. Contudo, os voos eram assinados por outra pessoas e não havia detalhamento do destino.

A família relatou que o último voo foi em um aeronave Baron 55. “Teoricamente, ele pilotou. Essa aeronave teria se deslocado para o Rio Grande do Sul. Estamos verificando se é a mesma que ele pilotou pela ultima vez”, afirma o delegado. Também há possibilidade de o piloto ter sido contratado por particulares para um voo. Como a região de fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai é marcada pelo narcotráfico, ele pode ter sido sequestrado para transporte de drogas.

Entretanto, não há registro de queda nem desparecimento de aeronave no Brasil, Bolívia e Paraguai. “Está concentrando aqui. Mas há possibilidade de ele ter desaparecido em diversos pontos da região de fronteira: Paraguai, Bolívia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul”, salienta o delegado.

O caso também é investigado pela Polícia Federal porque crime a bordo de aeronave, uma das possibilidades para o desaparecimento, é competência da Justiça Federal. Reverson é casado e tem filho de um ano e cinco meses.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions