ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, DOMINGO  05    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Prefeito diz que pedido por aumento de salário foi protocolado antes de pandemia

Guilherme Alves Monteiro (PSDB) também culpou adversários políticos de estarem “distorcendo verdades”

Por Adriano Fernandes e Tainá Jara | 26/03/2020 20:38
Prefeito de Jardim, Guilherme Alves Monteiro (PSDB). (Foto: Reprodução/Facebook)
Prefeito de Jardim, Guilherme Alves Monteiro (PSDB). (Foto: Reprodução/Facebook)

O prefeito de Jardim, Guilherme Alves Monteiro (PSDB), esclareceu que a proposta de reajuste no seu salário como prefeito foi feita dentro da lei e encaminhada à Câmara de Vereados antes do surto do coronavírus. Guilherme também culpou adversários políticos de estarem “distorcendo verdades” ao divulgarem que ele teria pedido aumento em meio à pandemia.

“É lamentável alguns pré-candidatos à prefeitura e à câmara municipal, ao invés de trabalharem de forma solidária, levando apenas informação séria, ajudando nossa comunidade, estejam nesse momento crítico atravessamos, agindo de má fé, distorcendo verdades, querendo se aproveitar politicamente com a propagação de fake news, com objetivo de atacar minha reputação”, comentou.

Em nota, o prefeito tucano explicou que o projeto de lei nº 002/2020 só foi encaminhado ao poder executivo após reunião que ocorreu no final de fevereiro com membros do sindicato dos servidores públicos do município de Jardim .

O projeto foi encaminhado e protocolado no legislativo em 16 de março, para aprovação, e dispõe sobre a revisão geral anual no vencimento dos servidores públicos efetivos, ativos, inativos, contratados, comissionados, no percentual de 5%

O projeto também inclui os cargos de prefeito, vice-prefeito e secretários municipais. “Conforme anos anteriores, esclarece que o mesmo é legal e está regulamentado na lei municipal nº 1854/2016. Lei sancionada ainda em 12 de abril de 2016”, diz a nota.

A Prefeitura de Jardim também ressaltou que o projeto de lei foi encaminhado dois dias antes de ser publicado decreto, com as medidas necessárias para conter a contaminação do coronavírus na cidade. O prazo para a aprovação das reposições salariais nos municípios, por se tratar de ano eleitoral encerra na primeira semana de abril.

Conforme a proposta, os vencimentos dos padrões, classes e referência dos cargos efetivos podem variar de R$ 1.105,60 a R$ 18.264,13. No caso dos cargos comissionados, incluindo secretários municipais, a variação é de R$ 1.039,10 a R$ 8.984,34. Já o reajuste do prefeito seria de 13%, de R$ 23.531,58 para R$ 26.595,86.