A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 13 de Outubro de 2019

15/02/2019 11:10

Presos por atentado a empresário vão para presídio; mulher fica em delegacia

Valdirene e os seis homens presos na noite de quarta-feira foram levados nesta manhã ao IML para fazer exame de corpo de delito

Helio de Freitas, de Dourados
Valdirene e Pedro Cancio Junior, que planejaram atentado, deixam delegacia para exame no IML (Foto: Adilson Domingos)Valdirene e Pedro Cancio Junior, que planejaram atentado, deixam delegacia para exame no IML (Foto: Adilson Domingos)

Valdirene Fiorentino da Silva, 35, acusada de planejar o assassinato do marido, o empresário José Pereira Barreto, 38, e os seis homens presos por envolvimento no crime, foram levados na manhã desta sexta-feira para fazer exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

Após o exame, ela será levada de volta para a 1ª Delegacia de Polícia Civil, onde vai permanecer até ser transferida para um presídio feminino em outra cidade de Mato Grosso do Sul. Dourados não tem presídio exclusivo para mulheres. Já os seis homens serão transferidos para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados).

Valdirene deixou a delegacia com destino às viaturas que levaram o grupo ao IML ao lado de Pedro Jorge Braga Cancio Junior, 29, funcionário de José Barreto e apontado como amante dela. Teria sido dele a ideia de matar o empresário. Reclamando das brigas constantes, Valdirene topou no ato.

Além deles, foram presos Charles Barros de Lima Ribeiro, 21, apontado como autor dos tiros, Paulo Vitor dos Santos, 32, que pilotou a moto usada no atentado, o irmão dele David Jonathan dos Santos, 29, Leandro Alves Gonçalves, 24, e João Paulo Alves Cardoso, 26.

Casada com José Barreto há 17 anos e com quem tem três filhos – de 16, 12 e 10 anos – Valdirene disse que aceitou mandar matar o marido por causa das brigas constantes do casal.

Com ajuda de Pedro, ela tinha fugido de casa na madrugada de domingo e tentou montar um álibi para não ser considerada suspeita. Procurou a polícia no momento em que os bandidos colocavam o plano em fuga.

O ato gerou desconfiança durante duas horas de interrogatório, ela acabou confessando o crime. Pedro e Leandro também confessaram participação. Os outros três negam envolvimento no atentado.

Veja abaixo as imagens dos sete acusados quando eram levados para o IML:

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions