A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 27 de Maio de 2017

17/07/2015 10:07

Sem salário, hospital pode ser acionado na Justiça para atender pacientes

Em resposta ao sindicato dos enfermeiros, Secretário de Saúde reafirmou que repasse para Hospital o Evangélico está em dia

Helio de Freitas, de Dourados
Sebastião Nogueira, secretário de Saúde de Dourados, disse que repasse para o HE está em dia (Foto: Divulgação)Sebastião Nogueira, secretário de Saúde de Dourados, disse que repasse para o HE está em dia (Foto: Divulgação)

O Hospital Evangélico, que enfrenta ameaça de greve dos enfermeiros por atraso nos salários, corre risco de ser acionado na Justiça e até descredenciado do Ministério da Saúde se deixar de prestar serviços de oncologia, nefrologia e cirurgia cardíaca a pacientes de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. A afirmação é do secretário de Saúde do município, Sebastião Nogueira.

Pelo menos 250 profissionais de enfermagem do hospital particular ameaçam entrar em greve a partir do dia 24 deste mês caso a empresa não pague os salários de junho. A greve deveria começar ontem, mas os funcionários decidiram adiar a paralisação diante da promessa do Evangélico de pagar a folha até o fim da próxima semana.

Em dia – Em resposta a um ofício do Siems (Sindicato dos Enfermeiros de Mato Grosso do Sul), Sebastião Nogueira afirmou que o Evangélico por produção dos procedimentos executados. Segundo ele, o pagamento está em dia.

“A Secretaria Municipal de Saúde repassa o pagamento ao referido hospital imediatamente após o recebimento dos recursos do Estado e União, não havendo atraso nos repasses da Secretaria Municipal de Saúde para o Hospital Evangélico”, informou Nogueira. Conforme o secretário, os recursos são para pagamento de assistência médica de alta complexidade nas áreas de oncologia, nefrologia e cirurgia cardíaca.

“Caso o hospital tenha desviado para outro fim os repasses efetuados pela Secretaria Municipal de Saúde, bem como se esses prestadores não receberem os pagamentos a eles destinados e a população ficar desassistida dos serviços contratados pelo SUS, o Hospital Evangélico será notificado e serão tomadas as providências legais para exigir que os serviços sejam executados conforme contratado a fim de garantir o integral atendimento dos pacientes da rede pública de saúde”, declarou o secretário.

Sebastião Nogueira reafirmou ao sindicato dos enfermeiros que o Hospital Evangélico é uma empresa privada, “cabendo somente a ela a responsabilidade de pagamento de seus servidores e fornecedores”.

Esperando o repasse – No início desta semana, a direção do hospital informou aos funcionários que aguarda o repasse dos recursos do Ministério da Saúde para colocar a folha em dia. O valor atrasado chega a R$ 400 mil.

Ontem, o superintendente do HE, Eliezer Branquinho, ao se reunir com os enfermeiros paras pedir a suspensão da greve por uma semana, disse que o hospital pagará os salários até o dia 24, mas não informou a fonte do dinheiro.

Enfermeiros aceitam proposta de hospital e vão esperar salário até dia 24
Os profissionais de enfermagem do Hospital Evangélico, localizado em Dourados, a 233 km de Campo Grande, suspenderam por mais oito dias a greve marca...
Homem leva facada no peito depois de beijar outro no rosto
Um homem de 68 anos tentou matar outro de 33 com uma facada no peito, na madrugada deste sábado (27), depois de receber um beijo no rosto, em Paranaí...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions