ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 33º

Interior

Sob risco de assalto, ciclistas se aventuram em rodovia às escuras

Grupo pedala todas as noites na MS-156 e enfrenta perigo de acidentes e roubos no trecho entre Dourados e Itaporã

Helio de Freitas, de Dourados | 10/06/2015 17:05
Ciclistas se aventuram em trecho sem iluminação da rodovia MS-156, entre Dourados e Itaporã (Foto: Eliel Oliveira)
Ciclistas se aventuram em trecho sem iluminação da rodovia MS-156, entre Dourados e Itaporã (Foto: Eliel Oliveira)

Ciclistas de Dourados, a 233 km de Campo Grande, estão se aventurando na escuridão para conseguir pedalar à noite na MS-156, rodovia que liga à vizinha Itaporã. No percurso duplicado de 15 km, vários trechos estão com as lâmpadas apagadas e os ciclistas reclamam que além do perigo de um acidente ainda correm o risco de serem assaltados.

Diariamente, pelo menos cem ciclistas utilizam a rodovia para pedalar. Todos trabalham durante o dia e só têm tempo para o lazer à noite. Recentemente, um grupo foi atacado nas proximidades da aldeia Jaguapiru e uma ciclista perdeu a bicicleta, recuperada alguns dias depois.

Na noite de ontem, pelo menos oito ciclistas participaram de um protesto na rodovia para reclamar da escuridão e cobrar providências. Segundo eles, as prefeituras de Dourados e de Itaporã foram procuradas, mas afirmam que a responsabilidade pela manutenção da iluminação é do governo do Estado, já que a rodovia é estadual.

Assalto – “Essa rodovia duplicada e iluminada, para nós que trabalhamos o dia todo, é a melhor opção pra treino e passeio nos fins de tarde, mas ultimamente a iluminação não funciona em vários pontos, comprometendo a segurança dos ciclistas. No mês passado passamos por uma que nunca havia acontecido, uma ciclista foi abordada por índios com facas que a renderam e tomaram a bicicleta justamente em um local totalmente sem iluminação”, afirmo ao Campo Grande News o micro empresário Gauco Soler, 37, do grupo XC Dourados.

Segundo ele, os ciclistas reivindicam que a iluminação volte a funcionar em todo o trajeto da rodovia para não comprometer a segurança. “Já reivindicamos isso varias vezes nos órgãos públicos responsáveis. Pedimos até mesmo lombada eletrônica nos locais onde os carros passam em alta velocidade e colocam em perigo os ciclistas. Mas até agora não obtivemos resposta”, disse Glauco.

Empurra-empurra – O empresário Adrielson Galvão, 34, disse ao Campo Grande News que até agora o único pedido de providências foi feito ao governo do Estado pelo deputado estadual José Carlos Barbosa (PSB). Em indicação apresentada na Assembleia Legislativa, Barbosinha pediu a instalação de redutores de velocidade na rodovia.

“Estamos à mercê da situação. Estado empurra para as prefeituras, que empurram para o Estado”, afirmou Galvão, da Pró Pedal, associação filiada à Federação de Ciclismo de Mato Grosso do Sul.

Levantamento – Através da assessoria, a Agesul (Agência Estadual de Gestão e Empreendimentos) informou que na semana passada foi feito um levantamento no trecho da MS-156 e ficou constatado que existem 145 lâmpadas apagadas e um transformador queimado.

Conforme a agência, será preciso fazer um grande trabalho para recuperar a iluminação, feita há quatro anos e que nunca passou por manutenção. Conforme a assessoria, muitas lâmpadas que permaneciam acesas durante o dia foram deixadas desligadas, aumentando a escuridão no local.

Sem anunciar uma data, a Agesul informou que está prevista para semana que vem a abertura da licitação para trocar a iluminação da rodovia. O processo deve demorar pelo menos dois meses e só depois começa o serviço.

Agesul informou que está prevista para semana que vem a abertura da licitação para trocar a iluminação da rodovia (Foto: Eliel Oliveira)
Agesul informou que está prevista para semana que vem a abertura da licitação para trocar a iluminação da rodovia (Foto: Eliel Oliveira)
Nos siga no Google Notícias