A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/02/2016 09:21

Trecho da Estrada Parque continua interditado e dificulta retirada de gado

Liana Feitosa
Trecho da Estrada Parque: chuvas da semana passada impedem ações de recuperação. (Foto: Divulgação)Trecho da Estrada Parque: chuvas da semana passada impedem ações de recuperação. (Foto: Divulgação)

O trânsito na MS-184, na rodovia conhecida como Estrada Parque, continua interrompido para veículos pesados desde o sábado (6) na altura do km 4. Na sexta-feira (5) fortes chuvas atingiram a região do Pantanal sul-mato-grossense e causaram estragos em uma ponte. O problema está impedindo a retirada de gado de áreas alagadas, de acordo com fazendeiros locais.

Segundo Luiz Anache, coordenador da Agesul (Agencia Estadual de Gestão de Empreendimentos) em Corumbá, cidade a 419 quilômetros de Campo Grande, as águas causaram problemas na cabeceira da ponte de madeira. Com isso, caminhões estão impedidos de passar pelo local. A expectativa é que seja feito reparo na estrutura ainda nesta semana.

Motivos - "Fizemos interdição do tráfego de pesados na sexta-feira (5). O problema está na cabeceira da ponte, mas, como não choveu na região desde a sexta-feira, vamos ver se conseguimos tirar material da cascalheira para recompor a cabeceira da ponte", explica Anache.

Ainda segundo o coordenador, o problema não é executar o serviço na ponte, mas, sim, conseguir material para realizar o aterro.

"O solo estava muito úmido e não conseguíamos entrar com máquina pesada na cascalheira para retirar material. Mas ainda hoje (10) vamos conseguir entrar na cascalheira para pegar aterro e cascalho para recuperar a ponte", detalha.

Mais longe - Com a interdição, caminhões estão desviando pelo Distrito de Albuquerque, acessando a MS-228. Isso aumenta em 100 quilômetros o trajeto até a BR-262.

De acordo com Anache, a situação prejudica produtores rurais que utilizam a MS-184 e passam pela ponte do km 4 para retirar gado. "O Pantanal está enchendo e os fazendeiros estão retirando os bois das áreas alagadas, mas agora a única opção que eles têm é a MS-228", finaliza.

Toda vez que chove, produtores rurais e empresários da região enfrentam graves problemas de tráfego. No entanto, a solução, tanto para a MS-184, quanto para a MS-228, só poderá ocorrer mediante autorização judicial.

Isso porque a Agesul fez auditoria na estrada e descobriu que uma empresa paga para executar obras na via não executou o serviço conforme o contrato. Além disso, a estrada virou alvo de investigação da Operação Lama Asfáltica. Com tudo isso, o MPE/MS (Ministério Público Estadual) passou a exigir que só poderá mexer na via quem tiver autorização judicial.

Cheia danifica cabeceira de ponte e restringe tráfego de veículos pesados
A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) restringiu, neste sábado (6), o tráfego de veículos pesados na MS-184, conhecida como Estrad...
Uems recebe inscrições em seleção para cursos de Educação à Distância até dia 22
Seguem abertas até 22 de dezembro as inscrições no processo seletivo de cursos de graduação e pós-graduação, na modalidade EaD (Educação à Distância)...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions