A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

31/05/2013 11:57

Velório de terena morto em reintegração tem ritual, protesto e acusação

Aline dos Santos e Viviane Oliveira, de Sidrolândia
Em velório, índios voltaram a culpar policial federal por tiro. (Foto: Vanderlei Aparecido)Em velório, índios voltaram a culpar policial federal por tiro. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Com ritual para expressar tristeza e angústia, o velório de Oziel Gabriel, de 35 anos, acontece na sua casa, na aldeia Córrego do Meio, a 25 km de Sidrolândia. O caixão foi colocado sobre uma mesa e levado para a pequena varanda do imóvel. O velório acontece em clima de indignação e gritos de “Justiça”.

Irmão da vítima, Jabes Gabriel, de 41 anos, relata que estava a 200 metros de Oziel. Segundo ele, o disparo partiu de um policial federal. Integrante de comissão de demarcação de terra, o cacique Benício Jorge, 51 anos, expressa revolta. “Estamos revoltados com os governantes do nosso país. A morte vai fortalecer o nosso movimento. Que seja responsabilizado quem autorizou a entrada da Cigcoe e da Polícia Federal”, afirma.

A morte de Oziel repercutiu pelo país. Em geral, o tom das autoridades foi de lamento. “Vamos apurar com muito rigor o que houve. Se houve abuso, todos os responsáveis serão punidos”, declarou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

O deputado federal Fabio Trad (PMDB) disse que a morte da desocupação da fazenda Buriti, foi uma tragédia anunciada. O arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara, lamentou o conflito.” Infelizmente um problema conhecido no mundo inteiro”, comentou sobre a disputa entre índios e fazendeiros em Mato Grosso do Sul.

A ação na fazenda Buriti durou nove horas, das 6h às 15h. A reintegração de posse, determinada pela Justiça Federal, foi cumprida pela PF (Polícia Federal), com apoio da PM (Polícia Militar). O imóvel rural pertence ao ex-deputado Ricardo Bacha.

Os terenas atearam fogo a ponte e casas na fazenda Buriti. A PF apreendeu armas artesanais, facões e duas espingardas. A fazenda foi invadida pelos terenas em 15 de maio. No mesmo dia, saiu uma decisão para que os índios deixassem o local. Mas a reintegração não foi cumprida e no dia 18 a decisão acabou suspensa até quarta-feira, quando foi realizada audiência na Justiça Federal.

 




Circo. Palhaçada. Essas ongs malditas de teroristas disfarçados incentiva violencia e depois arma um circo em cima. O pessoal do cimi devia estar na cadeia, por incitação ao crime. Funai deveria fazer uma limpa no seu quadro funcional e tirar esses imbecis que tratam indio como bucha de canhão. E o min cardozo nem venha botar cula no cumprimento de uma ordem judicial. a funai é responsabilidade dele. ele é o culpado. esses indios que ali estão são tudo vagabundos. se fossem gente de bem, estariam trabalhando e cudando de sua vida, não fazendo arruaça. Terra eles tem, mas fazem o que com ela? NADA, vivem de bolsa isso bolsa aquilo, vivem bebados e cheirados e vem com esssa porcaria de direitos de oubar as coisas dos outros? vamos parar com essa palhaçada. cadeia na liderança do movimento.
 
zuneide ferreira em 31/05/2013 16:56:21
o governo esta esperando uma tragédia maior isso e o que vai acontecer as coisas so funcionam assim
 
joao de souza em 31/05/2013 12:59:49
Uma pergunta, o que a "Guarda Nacional" está fazendo aqui no Estado? ...
 
elcio nunes em 31/05/2013 12:44:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions