A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

09/07/2015 15:04

Vereador investigado pelo MP diz ter gasto “apenas” R$ 59,5 mil em diárias

Helio de Freitas, de Dourados

O vereador Dejair Gomes (Pros), o Totinha, rebateu nesta quinta-feira as informações de que teria recebido R$ 203 mil em diárias em 2013 e 2014, período em que foi presidente da Câmara de Rio Brilhante, cidade a 161 km de Campo Grande. Em “nota de esclarecimento”, ele afirma que desse montante, “apenas” R$ 59,5 mil são relativos a diárias e que o restante – R$144.305 mil –é proveniente de verba indenizatória, um valor previsto em lei para o presidente do Legislativo.

Ontem, o Campo Grande News divulgou informações sobre a investigação do Ministério Público Estadual, que instaurou inquérito civil para investigar suspeita de improbidade no pagamento de diárias a alguns vereadores daquele município, especialmente os que ocupavam e ainda ocupam cargos na mesa diretora da Câmara.

“Os valores apresentados constam que o ex-presidente Dejair Gomes (Totinha) recebeu no período de 2013/14, R$203,8 mil referentes a diárias e verbas indenizatórias, entretanto do valor total, R$144,305 mil são provenientes desta verba indenizatória por ocupar o cargo de presidente da mesa diretora da Câmara Municipal, conforme prevê a Lei Municipal nº 1.714/2012, que fixa os subsídios dos vereadores do município de Rio Brilhante para a legislatura 2013 a 2016. Apenas R$ 59,518 foram pagos nos dois anos a título de diárias, estas destinadas a participação de cursos, seminários e viagens na busca de recursos e benefícios de interesse público”, afirma a nota.

A nota de esclarecimento informa também que o vereador Aguinaldo Lima Pereira (PPS), ex-primeiro secretário da Câmara, recebeu no referido período R$ 69,145 mil em verbas indenizatórias e R$ 59,181 em diárias. “Da mesma forma o atual presidente Sergio Carlos Martins Rigo e o 1º secretário Giancarlo Mariano da Rocha têm o direito a receber o acréscimo por ocuparem os referidos cargos, sendo que os valores pagos são feitos dentro da legalidade, previstos em lei específica e estão disponibilizados no portal da transparência”.

Eleição da mesa – A nota, assinada por Dejair Gomes, cita ainda a eleição da mesa diretora para os períodos de 2013/2014 e 2015/2016, também alvo de investigação do Ministério Público, conforme documentos obtidos pelo Campo Grande News. “Quanto à eleição da mesa para este biênio, acusados de ‘negociatas’, esclarecemos que assim como em qualquer pleito, existem as formalizações de chapas e apoios, que na Câmara de Rio Brilhante não é diferente e que a mesa foi eleita de forma legal”.

A nota termina informando que os vereadores “sempre se colocaram à disposição do Ministério Público que apura a veracidade das denúncias e que os fatos citados na mídia estão apenas sob investigação e nada está comprovado”.




O cara foi eleito vereador para a cidade de Rio Brilhante mesmo? Pra quê viajar tanto assim então? O povo o elegeu para trabalhar onde?
Não sei se ele já ouviu falar, mas já inventaram outros meios que não as reuniões pessoais. Tem telefone, internet, videoconferências, cartas... tudo pelo princípio constitucional da economicidade. Ele, como legislador, era bom conhecer.
Longe de mim pensar que toda essa grana foi usada em alguma coisa que não viagens... mas existem meios mais econômicos. Tadinho, ele não sabia.
 
Guaraci Mendes em 09/07/2015 15:20:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions