A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

27/07/2016 11:39

Vereadores aprovam reajuste de 35% que vai custar R$ 280 mil ao município

Anny Malagolini e Fernanda Yafusso
Reajuste começa a valer a partir de 2017 (Foto: Divulgação)Reajuste começa a valer a partir de 2017 (Foto: Divulgação)

A Câmara Municipal de Caracol aprovou reajuste salarial de até 35% para vereadores, secretários, vice-prefeito e prefeito do município, e os salários podem chegar a R$ 15 mil. Os novos valores começam a valer a partir do próximo ano, mas a população da cidade já tem mostrado sua insatisfação, isso porque a mesma fartura não foi concedida aos servidores públicos, que ganharam aumento de apenas 5%.

Um funcionário da prefeitura que recebe um salário mínimo, valor de R$ 880, passou a ganhar R$ 924 com o reajuste. Já a remuneração dos vereadores, que é de R$ 3,9 mil passará a R$ 4,9 mil. O ajuste representa 24% de aumento.

Para o cargo de prefeito do município de Caracol, o aumento aprovado foi de 15%; de R$ 13 mil, o salário vai saltar para R$ 15 mil. Para o Vice-Prefeito e todo o secretariado do município, a remuneração também ganhará aumento, de aproximadamente 15%. De acordo com a aprovação da câmara, os salários sobem para R$ 11 mil – atualmente os salários dessas duas funções é de R$ 9,5 mil.

O município de Caracol tem 5,4 mil habitantes, portanto, são nove vereadores na cidade, cinco secretários e mais os cargos de vice-prefeito e prefeito Ao todo são 16 cargos do poder público municipal – e, com a mudança, o orçamento do município com pessoal vai aumentar em pelo menos R$ 280 mil.

O presidente da Câmara Municipal da cidade, o vereador Maykon da Silva (DEM), explicou que todo final de mandato a câmara é obrigada a votar no reajuste salarial do prefeito e dos vereadores e secretários eleitos e convocados para o ano seguinte, ou seja, a administração atual é quem define a remuneração dos sucessores. “Fizemos o que está na lei, não para aumentar o nosso salário, mas dos próximos vereadores e prefeito”, justificou.

A projeto de aumento é da Câmara Municipal e foi encaminhado para o prefeito Manoel dos Santos Viais, no entanto, a medida foi reprovado pelo chefe municipal. Mas ainda assim, os vereadores mantiveram o reajuste. Para o prefeito, o aumento é “imoral”, levando em consideração a “penúria em que estão os municípios”, e afirmou que tentará recorrer ao Ministério Público. “A folha já está 54% comprometida”, informou.

Na cidade de apenas 5,4 mil habitantes, o aumento salarial dos políticos não foi aprovada pelos seus moradores, como William Gonçalves, que reclamou do desprezo dos vereadores pela opinião pública. "O veto do prefeito foi derrubado sem o direito da população manifestar sua insatisfação, Fizeram uma sessão extraordinária e derrubaram o veto,sem ninguém saber", reprovou. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions