A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

21/06/2015 10:45

Inverno começa hoje com previsão de pouca chuvas e temperaturas amenas

Flávia Lima
Temperaturas mais rigorosa devem ser registradas apenas em alguns períodos da estação. (Foto:Marcelo Calazans)Temperaturas mais rigorosa devem ser registradas apenas em alguns períodos da estação. (Foto:Marcelo Calazans)

O inverno começa neste domingo (21), às 12h38, e será marcado por baixos volumes de chuva em todas as regiões de Mato Grosso do Sul. A estação, que segue até setembro, é caracterizada por dias mais curtos e noites mais longas, fator que contribui para que as temperaturas, até meados de julho, sejam bastante baixas. Mesmo assim, são esperadas ondas de calor associadas a períodos prolongados sem chuva, os chamados veranicos.

As precipitações ficam controladas pelo avanço das frentes frias, vindas do sul do continente. Também é mais frequente a invasão de massas polares, que provocam quedas bruscas nas temperaturas, mas que não devem provocar geadas devido a presença de fenômeno El Niño no Estado.

Outro aspecto meteorológico que se observa durante o inverno, são as constantes inversões térmicas que causam nevoeiros e neblinas. Essas inversões, muitas vezes, permanecem durante o período da manhã. Além da redução da visibilidade, outro fator importante é o alto índice da umidade relativa do ar, que podem alcançam até 100% no período da manhã. O contrário ocorre no período da tarde, quando o índice da umidade relativa do ar diminui consideravelmente, chegando a registrar valores menores de 30%.

Segundo a meteorologista Cátia Braga, do Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul), os nevoeiros serão mais comuns na região sul do Estado, como Amambai, Ponta Porã, Itaquiraí, Ivinhema, Sete Quedas e Dourados.

Ainda para este final de junho, a tendência é de muito calor na região centro-leste e centro-sul de Mato Grosso do Sul. A região de Dourados tende a ter temperaturas acima de 38°C, assim como a região leste.

As chuvas ficam abaixo da média histórica em todas as regiões. A tendência é de escassez, com valores abaixo de 80 milímetros na região sul e com umidade relativa muito baixa. Na região pantaneira os índices serão mais críticos, abaixo de 20 milímetros, incluindo norte e leste.

Queda de temperatura - Já a partir de julho, os termômetros ficarão abaixo da média histórica no extremo sul e sudeste de Mato Grosso do Sul, onde ano passado foi registrado 4,4ºC em Amabai, porém, em 2013 o município chegou a registrar marca de 1,9ºC.

Para Campo Grande são esperadas temperaturas abaixo de 10ºC e 7ºC no sul do Estado, conforme o meteorologista Natálio Abrão, da Uniderp-Anhanguera.

Ainda conforme dados do Cemtec, a umidade relativa tende a ficar abaixo do valor recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de 60%. A umidade mínima prevista é de valores abaixo de 30%, como ocorreram nos anos anteriores, principalmente a região do Bolsão.

A tendência é de chuvas acima do esperado para o período na região central, sudeste e Bolsão. Na região próxima a Corumbá e Ladário há possibilidade de chuvas abaixo da média e por consequência tempo seco e possibilidade de aumento nas queimadas. O histórico para Corumba é de 11,8 milímetros e espera-se um valor menor que esse. Para a região sul é de 50,2 milímetros em Ponta Porã e 68,1 milímetros em Rio Brilhante. São Gabriel do Oeste, Ribas do Rio Pardo, Campo Grande, Água Clara e cidades próximas tendem a ter chuvas acima de 26 milímetros.

Para agosto, as temperaturas ficarão acima da média histórica na região central, bolsão e parte da região norte. No extremo sul do Estado, como Paranhos, Tacuru, Sete Quedas e Coronel Sapucaia a tendência é de frio abaixo da média e a umidade relativa do ar fica abaixo de 40% em vários momentos do mês.

Neste mês, mesmo com a entrada de frentes frias no país, o volume de chuvas sofrerá grande redução, principalmente na região sul, sudeste, leste e noroeste de Mato Grosso do Sul. Em Porto Murtinho, o esperado é 34,2 milímetros, no entanto a tendência é que chova menos. Na Grande Dourados, a média será de 44,3 milímetros, Corumbá com 25,9 e Campo Grande, 31,4.

No último mês de inverno, as temperaturas continuarão em elevação, especialmente em Porto Murtinho, Caracol, Bela Vista, Jardim, Bonito e Bodoquena.

As chuvas só ficarão acima da média em Paranaíba e Cassilândia. Na capital sul-mato-grossense, espera-se chuvas abaixo de 73,9 milímetros, valor do histórico do mês.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions