ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Liminar livra Ministério Público de MS da exigência para digitalizar inquéritos

Aline dos Santos | 15/03/2012 08:18

Regra foi estabelecida pelo Tribunal de Justiça, abrindo embate jurídico

O MPE (Ministério Público Estadual) conseguiu liminar no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para não cumprir a exigência de digitalizar os inquéritos poliiciais que compõem os processos.

A regra foi estabelecida pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que, no provimento 70 da Corregedoria, determinou que cada parte entregue já digitalizada suas peças nas ações.

Alegando falta de infraestrutura e que foi pego de surpresa, o Ministério Público questionou a decisão no CNJ. Ontem, o conselheiro Neves Amorim deferiu liminar para dispensar o processo de digitalização dos inquéritos policiais, determinando que TJ/MS receba as denúncias encaminhadas ainda que os autos do inquérito estejam em meio físico. O MP pedia prazo de 240 dias para se adequar.

O PCA (Procedimento de Controle Administrativo) foi protocolado pela Procuradoria Geral do MPE e a ASMMP (Associação dos Membros do MPE). O Judiciário informa que só os promotores não estão adaptados à regra.

Na primeira fase de implantação do sistema, segundo o TJ, foi permitido que as partes ingressassem com as ações em formato físico e os servidores do judiciário eram encarregados de digitalizar as peças para que pudessem tramitar no formato eletrônico. Agora, a petição física foi gradativamente eliminada para dar lugar à eletrônica.

Nos siga no Google Notícias