ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  21    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Manifesto na quarta pede fim da exclusividade nos consignados em MS

Por Fabiano Arruda | 30/01/2012 15:29

Para pedir o fim da exclusividade do Banco do Brasil nos empréstimos consignados a servidores estaduais em Mato Grosso do Sul, trabalhadores de financeiras fazem manifesto na quarta-feira, às 8h30, em frente a agência que fica na Afonso Pena com a Rua 13 de Maio em Campo Grande.

No dia, eles pretendem colher assinaturas de pessoas favoráveis ao tema no local e também de funcionários de financeiras do interior do Estado por email.

Na última semana, decisão do TRF 1 (Tribunal Regional Federal da Primeira Região), por meio da desembargadora federal Selene Maria de Almeida, negou agravo de instrumento da instituição. No entanto, ainda cabe recurso.

A determinação proíbe o Banco do Brasil de praticar a exclusividade no crédito consignado em Mato Grosso do Sul e outros seis estados, num total de cerca de 40 municípios, onde controla a folha de pagamento.

O banco recorria de decisão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que tem objetivo de preservar os princípios constitucionais de livre concorrência e livre iniciativa.

Segundo a presidente da ASDECC (Associação de Corretores de Crédito de Mato Grosso do Sul), Cleide Salentin, a prática gerou 800 demissões e o fechamento de 78 financeiras no Estado no ano passado. Além disso, ela reclama da política do banco. “Enquanto os juros das financeiras giram em torno de 2% ao mês para empréstimos consignados, as taxas do Banco do Brasil são o dobro”, critica.

Ainda conforme a presidente da ASDECC, o BB tem restringido os empréstimos aos servidores. Um dos principais motivos é a restrição de crédito dos funcionários públicos. “Hoje 95% dos servidores têm restrição”, comenta.

Cleide pede que os trabalhadores de financeiras do interior do Estado interessados em participar do manifesto entrem em contato pelo email asdeccms@hotmail.com ou pelo telefone 3044-7533.

BB – A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil nesta segunda-feira. A informação é de que a assessoria retornaria sobre o assunto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário