A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/04/2011 13:37

Mantida sentença que condenou Claro ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais

Paula Vitorino

O Tribunal de Justiça negou recurso da telefônica Claro e manteve a sentença que condenou a empresa ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais a um cliente, que teve o nome inscrito no cadastro de proteção ao crédito indevidamente.

Na apelação, a empresa defendeu não existir débitos, nem a negativação dos dados do recorrido junto ao Serasa ou SPC.

Segundo o TJ, a Claro afirma que foi estabelecido um valor exagerado de indenização, argumentando que a quantia deveria ser fixada com base nos princípios da razoabilidade, proporcionalidade e do caráter pedagógico da condenação, e não poderia levar em conta apenas o tamanho e a parte da empresa.

Mas o relator do processo entendeu que “a empresa apelante procedeu com a inscrição do nome do apelado nos órgãos de proteção ao crédito de forma indevida, vez que o apelado promoveu o pagamento da fatura, devendo a empresa apelante responder pelos prejuízos causados”.

Quanto o valor para a indenização do dano moral, o TJ alega que analisou os critérios de razoabilidade, de modo que a quantia determinada não é excessiva, pois foram analisadas as condições financeiras tanto do ofensor quanto do ofendido. A sentença de 1º grau ficou mantida em sua íntegra.

O caso – De acordo com o processo, a Claro inscreveu o nome do cliente no Serasa em fevereiro de 2008 por débito de R$ 35, vencido em 16 de novembro de 2007.

O autor pagou o débito em questão no dia 18 de janeiro de 2008 após ter recebido a cobrança da referida dívida. A empresa alegou que só tomou conhecimento da quitação da dívida em maio de 2008.

Na decisão de 1º grau, o TJ salientou que é dever da empresa, como fornecedora de serviços de telefonia, verificar os pagamentos e adotar os cuidados necessários para não impor restrições aos consumidores, como a inscrição indevida em órgãos de proteção ao crédito por dívidas já pagas, mesmo que após o vencimento.

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...


estou passando por uma situaçao semelhante, estou meia desorientada, como posso proseder
 
roselene gonçalves santos brites em 01/04/2011 07:50:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions