A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

07/08/2013 16:10

Meia-entrada prevista no Estatuto da Juventude divide opiniões na Capital

Jéssica Benitez
Casal comemora aprovação do Estatuto da Juventude (Foto: Cleber Gellio)Casal comemora aprovação do Estatuto da Juventude (Foto: Cleber Gellio)

Sancionado no dia 5 de agosto pela presidente da República Dilma Rousseff (PT), o Estatuto da Juventude divide opiniões em Campo Grande. Se por um lado, os jovens brindam mais uma vitória, principalmente, pela garantia de meia-entrada, por outro, produtores culturais não concordam com as definições que acumulam mais pessoas entre beneficiários, sem compensação para os responsáveis pelos shows.

Segundo o novo conjunto de regras, pessoas de 15 a 29 anos com renda familiar até dois salários mínimos (R$ 1.356) por mês terão direito de pagar meia-entrada em eventos culturais e esportivos, exceto Copa do Mundo e Olimpíadas. As normas devem entrar em vigor em seis meses.

Para garantir que os produtores e promotores culturais não sejam prejudicados, o estatuto estabelece limite de 60% dos ingressos destinados aos pagantes normais. Grande parte dos estudantes de todo o Brasil já contam com o benefício, sendo que a grande novidade é incluir os que concluíram ou estão fora da escola na lista.

O texto original, que estava parado no Congresso Nacional há uma década, previa ainda meia-passagem em transporte interestadual para todos estudantes de até 29 anos, no entanto, houve veto de Dilma. A petista manteve apenas a reserva de duas cadeiras gratuitas e duas meias-passagens para jovens de baixa renda em ônibus interestaduais, conforme ordem de chegada.

O casal de atendentes Iara da Silva, 19 anos e Yury Pinheiro, 18 anos, comemoraram a sanção. Ambos já concluíram o Ensino Médio e, portanto, não podiam desfrutar da meia-entrada, fato que os obrigava a ficar em casa pelo preço alto dos eventos.

“Hoje em dia tudo é caro. Tem peça de teatro, por exemplo, que custa R$ 80, para nós dois saia R$ 160 só a entrada. Agora vamos pagar por um só”, comemorou Iara que em seguida intimou o namorado. “Vamos ver se agora ele me leva mais pra sair, né?”, brincou.

Sem escapatória, Yury garantiu que a lista de entretenimento do casal vai aumentar quando o estatuto entrar em vigor. O rapaz relata que muitas vezes eles optaram por ir a shows e eventos públicos que geralmente têm preço simbólico ou são gratuitos.

“Mas quando é de graça, a grande maioria dos eventos não têm tanta segurança ou o número de pessoas excede, alguns bebem, saí briga, enfim, é bom ter a opção de poder ir aos shows privados”, explicou. A opinião se estende à operadora de caixa, Priscila Bernardes, 22 anos. Ela também não estuda mais e disse que correrá atrás para obter os benéficos, antes restritos a estudantes.

Cadastro – Para ter acesso aos benefícios as famílias dos jovens de baixa renda devem estar no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Aos que estudam, cabe comprovação de matrícula em instituição de ensino com o uso de carteirinha.

A recomendação é que o documento seja feito pela Associação Nacional de Pós-Graduandos, pela União Nacional dos Estudantes, pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e por entidades estudantis estaduais e municipais filiadas a essas organizações nacionais.

Representatividade – O secretário Estadual Extraordinário da Juventude, vereador licenciado Herculano Borges (PSC), esteve em Brasília durante sanção do estatuto e considera a aprovação um fato histórico.

Para ele, “desencalhar” o texto que estava há 10 anos no Congresso é uma verdadeira conquista e resultado da união jovem mostrada nas ruas nos últimos dias. “O estatuto prevê a inclusão cultural e social destes jovens”, explicou.

Desagrado – Mas o estatuto não agradou a todos. Promotores culturais alegam que esse é só mais uma jogada do Governo Federal que não dará resultados reais. Wagner Jean, 25 anos, faz parte do grupo campograndense de stand up “Comédia Sem Noção” e afirma que com a limitação de 40% dos ingressos para meia-entrada quem ficará prejudicado é o próprio jovem.

Isso porque atualmente não há percentual definido para venda de ingressos pela metade do preço. “Assim quem deixar para comprar na hora, como todo brasileiro faz, correrá o risco de ficar sem meia-entrada. Essa é só mais uma lei para inglês ver”, avaliou.

O produtor de eventos Gustavo Cegonha completa dizendo que hoje os eventos culturais já têm que arcar com meia-entrada para estudantes, idosos e doadores de sangue. “Então para bancar mais esse beneficio nós teríamos que ter uma contrapartida do Governo Federal, caso contrário fica inviável”, finalizou.

Wagner diz que a lei é só para inglês ver (Foto: Cleber Gellio)Wagner diz que a lei é só para "inglês ver" (Foto: Cleber Gellio)
Dilma sanciona Estatuto da Juventude e jovens terão direito a meia-entrada
Estabelecendo direitos para jovens entre 15 e 29 anos, o Estatuto da Juventude foi sancionado pela presidência da República nesta segunda-feira (5). ...
Senado aprova projeto do Estatuto da Juventude
Os senadores conseguiram contornar as divergências e aprovaram na noite de ontem (16) o Estatuto da Juventude, que abrange pessoas entre 15 e 29 anos...
Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...


Como vamos saber se a casa de show ou o cinema esta mentindo quando falar que acabou os 40% dos ingressos de meia? E outra, os DCEs e CAs que quiserem fazer uma carteirinha vão ter que comprar um selo da UNE de 30 reais e ainda arcar com as despesas da própria carteirinha, ou seja, essas entidades vão ter que desembolsar cerca de 35 reais para fazer a carteirinha valer e vão ter que vender pelo menos a 40 reais para os estudantes para terem um minimo de arrecadação para suas organizações. Resumindo, que estudante ira pagar 40 reais para ter uma carteirinha para pagar meia? Isso tudo é um absurdo!!!
 
Daniel Wirti em 08/08/2013 07:22:17
Mais um Estatuto, mais um monte de baboseiras que não resolve nada. Veja o alcance da juventude atual tecendo loas ao Estatuto em razão de meia entrada em eventos. O País se deteriorando por falta de saúde, educação, moradia, transporte, dívida pública e os alienados aplaudindo meia entrada em eventos. Para começar como já disse a Placida vai acabar pagando, e será até mesmo os pais dos alienados que acham que o Estatuto trouxe alguma coisa de positiva. Dá licença vai!
 
Jota Vieira em 07/08/2013 23:20:52
e os estudantes acima de 30 anos com renda familiar até dois salários mínimo, ficam onde nesta historia, existem muitos que voltaram a estudar.... E ai presidente DILMA, você não sabe disso???
 
Rogério Menezes em 07/08/2013 17:48:37
Vejam só: se a maioria dos usuários de shows, cinema, etc, são jovens nessa faixa etária, significa dizer que uma boa parcela dos usuários pagará meia entrada. O que acham que acontecerá? A entrada dobrará de valor para cobrir as despesas. Assim, os que não forem contemplados com o desconto serão muito penalizados. Mais uma medida demagógica e eleitoreira de um governo em franca bancarrota.
 
João Dias em 07/08/2013 17:48:35
Alguém vai pagar a mais por isso. Vai ficar mais caro os eventos o preço dos ingressos inviável mesmo para quem pode pagar.
 
Placida Barros em 07/08/2013 17:08:37
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions