A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Junho de 2017

04/11/2016 16:23

Membros do MST em MS são suspeitos de integrar quadrilha criminosa

Luana Rodrigues
Policiais em cumprimento de mandados no PR. (Foto: Divulgação/ PC)Policiais em cumprimento de mandados no PR. (Foto: Divulgação/ PC)

A Polícia Civil do Paraná deflagrou nesta sexta-feira (4) operação para prender integrantes da MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) suspeitos de participarem de uma organização criminosa. A operação, denominada “Castra” - expressão que significa levantar acampamento - ocorre em três estados – Paraná, São Paulo e Mato Grosso do sul.

Segundo a polícia do Paraná, a organização é investigada por furto e dano qualificado, roubo, invasão de propriedade, incêndio criminoso, cárcere privado, entre outros crimes. Não há informações sobre qual a cidade em Mato Grosso do Sul onde mandados estão sendo cumpridos.

A investigação que levou à ação desta sexta-feira começou em março, após invasão da Fazenda Dona Hilda, em Quedas do Iguaçu (PR), quando integrantes do MST teriam mantido os empregados da propriedade em cárcere privado, sob a mira de armas de fogo, por várias horas.

O dono da fazenda também relatou o sumiço de 1,3 mil cabeças de gado e prejuízo de R$ 5 milhões. De acordo com a polícia, os bois eram transportados com documentação irregular e a investigação apontou que uma parte destes animais foi vendida pelos integrantes do MST.

O grupo ainda é investigado por suspeita de cobrança de taxa – que podia chegar a R$ 35 mil ou em sacas de grão – para que os donos da fazenda fossem autorizados a fazer a colheita da própria plantação.

Cerca de 70 policiais civis participam da operação, que deve cumprir 14 mandados de prisão, dez de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Foram destacados policiais das delegacias de Cascavel, Francisco Beltrão e Laranjeiras, além de homens da Denarc de Cascavel, do Cope (Centro de Operações Policiais Especiais), do Tigre (Tático Integrado Grupos de Repressão Especial) e o Goa (Grupamento de Operações Aéreas.

Perseguição de lideranças - Em nota, divulgada pelo site Portal do Paraná, o Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores do Paraná pede que os fatos sejam esclarecidos e diz que apóia o MST, conforme descrito na íntegra abaixo:

“Causa-nos estranheza os fatos e as informações inicialmente apresentados. É preciso que os motivos dessas ações sejam muito bem esclarecidos, a fim de evitar a perseguição de lideranças populares que lutam pelos interesses da comunidade.

O PT-PR apoia a luta do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) por reforma agrária e por um País mais justo e solidário. Também repudia toda e qualquer tentativa de criminalização dos movimentos sociais. Por isso, exige das autoridades competentes um sério e criterioso esclarecimento a respeito dessas operações”.

Sai resultado da segunda chamada do ProUni
O Ministério da Educação divulgou hoje (26), na internet, o resultado da segunda chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni). Os candidatos ...
Governo do Estado compra veículo para combater incêndio por R$ 241 mil
O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio do Corpo de Bombeiros, comprou um veículo 4x4 destinado ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS) para c...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions