A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

22/01/2009 17:29

Ministério vai monitorar empresas que usam verbas do FAT

Redação

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, anunciou hoje (22) a criação de um grupo, formado pelo governo, empresários e trabalhadores, para acompanhar o cumprimento dos objetivos sociais dos programas financiados pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo o ministro, empresas que contraíram empréstimos desses fundos não podem demitir funcionários.

Lupi acusou o setor alimentício de demitir trabalhadores sem justificativa. Segundo ele, o setor recebeu recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e foi um dos que mais arrecadou no último ano.

"Em dezembro se vendeu muito, 5% a mais do que em 2007. Os brasileiros continuam comprando, haverá aumento do salário mínimo para R$ 465 e mais pessoas terão recursos para consumir. Não há motivo para demissões", garantiu.

Entre as sanções às empresas está prevista a diminuição de prazos de pagamento, o aumento do percentual de juros cobrados, a antecipação de pagamentos e a dificuldade de renovação com o FAT.

O ministro destacou que em alguns setores houve precipitação. "Não é justo uma empresa ganhar muito de janeiro a novembro e, em um único mês, quando perde um pouco, passar a conta para o trabalhador pagar. Precisa haver consciência que quanto maior for o desemprego pior será para a economia", afirmou.

Lupi disse ainda que os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados hoje (22), referentes ao desemprego no país, evidenciam que a crise econômica não afetou tão drasticamente o país.

"

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions