A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/11/2013 17:46

Ministério vê risco de epidemia de dengue na Capital e mais 17 cidades

Bruno Chaves
Portaria ministerial libera R$ 5,02 milhões para MS combater a doença (Foto: Marcos Ermínio)Portaria ministerial libera R$ 5,02 milhões para MS combater a doença (Foto: Marcos Ermínio)

Dados do Mapa da Dengue no Brasil, divulgados por meio do LIRAa (Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti), do Ministério da Saúde, nesta terça-feira (19), revelam que Campo Grande está em estado de alerta para o risco de uma nova epidemia da doença.

Além da Capital sul-mato-grossense, outras 17 cidades do Estado também estão em alerta. Entre elas, Bonito, Coxim, Dourados, Ponta Porã e São Gabriel do Oeste. Já Três Lagoas foi considerada pelo Ministério como situação de risco.

Com mais de 300 casos notificados de dengue por 100 mil habitantes, a Capital do Estado é considerada uma cidade com alta incidência da doença, também pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Campo Grande ainda ocupa a 17ª posição no ranking estadual com 46.043 pessoas que já foram infectadas com o vírus em 2013. Em Mato Grosso do Sul, foram mais de 100 mil infectados só este ano.

O LIRAa, elaborado pelo Ministério da Saúde em conjunto com estados e municípios e realizado entre 1º outubro e 8 de novembro em 1.315 cidades, ainda aponta que apesar de os casos de notificações no Estado terem crescido de 2010 para 2013, os números de casos graves e de óbitos diminuíram.

Três anos atrás, mais de 62 mil pessoas adquiriram algum tipo de dengue em Mato Grosso do Sul. De lá para cá, os casos graves da doença diminuíram em 61,2% (de 1.792 para 695) e a quantidade de óbitos caiu em 19% (de 42 para 34).

Para o Ministério da Saúde, o reforço na assistência básica ao paciente com dengue, que vem sendo ampliado ano a ano, resultou em redução gradativa dos casos graves e óbitos da doença, não só em Mato Grosso do Sul, mas a também a nível Brasil.

Investimentos – Para apoiar os municípios do Estado no combate à doença, o Ministério da Saúde informou, nesta terça-feira (19), que liberou recursos de pouco mais de R$ 5 milhões para Mato Grosso do Sul. O valor deverá ser utilizado em ações de vigilância, prevenção e controle da dengue.

Ao divulgar os dados do LIRAa, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, assinou portaria que autoriza o repasse de R$ 363,3 milhões, divididos entre os estados.

Os recursos são para incrementar os investimentos realizados nas ações de vigilância em saúde, que somam R$ 1,2 bilhão, informa a assessoria do Ministério.

Desse montante de R$ 363,3 milhões, o Centro-Oeste ficou com R$ 28,7 milhões e Mato Grosso do Sul com R$ 5,02 milhões. Segundo Padilha, o recurso adicional significa um acréscimo 110% em relação ao que foi transferido em 2012 e contempla todos os municípios do país.

Para receber o repasse, os municípios precisam cumprir metas como assegurar a quantidade adequada de agentes de controle de endemias, garantir a cobertura das visitas domiciliares pelos agentes e realizar o LIRAa.

Além de liberar o dinheiro, o Ministério da Saúde adquiriu 100 toneladas de larvicida, 227 mil litros de adulticida e 10,4 mil kits diagnósticos que serão enviados e entregues a todos os municípios brasileiros.

Os profissionais que trabalham no combate à dengue receberão guias de classificação de risco e tratamento, além de capacitações por meio da Universidade Aberta do SUS (UnaSUS).

Mapa da Dengue – O LIRAa ainda mostrou que 157 municípios brasileiros estão em situação de risco para a doença; outros 525 estão classificados em estado de alerta; e 633 cidades ganharam o título de satisfatório.

Profissionais que trabalham no combate à dengue receberão guias de classificação de risco e tratamento, além de capacitações por meio da Universidade Aberta do SUS (UnaSUS) (Foto: Marcos Ermínio)Profissionais que trabalham no combate à dengue receberão guias de classificação de risco e tratamento, além de capacitações por meio da Universidade Aberta do SUS (UnaSUS) (Foto: Marcos Ermínio)


nao e so ai nao aqui em sao jose do rio preto sp tbm esta com essa ipedemia tbm infelizmente
 
maria geraldi em 19/11/2013 18:50:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions